terça-feira, 29 de março de 2016

Leituras do Mês - Março


Boa noite, pessoal!

Agora é precisamente 1h38 minutos da madrugada e eu estou com muito sono. Eu estava ouvindo Welcome to Night Vale, mas daí fui assistir Supernatural, mas daí fiquei com raiva de mim mesma por não estar fazendo meu trabalho de estatística, abri o arquivo no computador e fiquei encarando-o por uns longos 15 minutos e agora arranjei MAIS UM MOTIVO para procrastinar o trabalho de estatística: escrever esse post! YAAAAY!!! Eu não tenho noção das coisas.

Hoje é dia 26 de março, o mês não acabou mas eu sei que não vou ler mais nada até o fim do mês por que eu: 01) Vou gastar meu fim de semana assistindo Bátima vs. Super Omi (aguarde uma resenha), 02) Vou tomar vergonha na cara em algum momento e fazer o trabalho idiota de estatística e 03) o único livro que estou lendo no momento é grande demais para eu terminar em tão pouco tempo. Spoiler alert: não terminei mesmo. O livro, o trabalho d estatística eu FIZ (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

Mangás

Tetsugaku Letra All You Need Is Kill Deadman Wonderland #02 Deadman Wonderland #03
Deadman Wonderland #04 Deadman Wonderland #05 Deadman Wonderland #06 Deadman Wonderland #07
Deadman Wonderland #08 Deadman Wonderland #09 Deadman Wonderland #10 Deadman Wonderland #11
Deadman Wonderland #12 Deadman Wonderland #13

Em março eu li muitos mangás e, nossa, como eu tô feliz por retomar o gosto por esse tipo de leitura! Sério, ultimamente tem sido bem difícil encontrar mangás que me agradem. Eu não sou uma pessoa difícil de agradar, mas tem três coisas que eu não suporto em mangás/quadrinhos: 01) Fanservice descarado (muitas lutas sem sentido, objetificação/sexualização feminina e afins), 02) História muito sem noção (vamos combinar que um menino filho do diabo ser neto do papa e querer ser um exorcista é BEM sem noção) e 03) Traço sujo ou estranho demais (tá difícil ter coragem de ler Shingeki no Kiojin).

Mas eu sou muito sortuda por ter encontrado Deadman Wonderland na minha vida. Eu li esse mangá faz tempo, e na época em que comecei a ler só tinha até o volume 8 ou 9 no Japão. Fui acompanhando o mangá até seu final. Li tudo online, mas assim que ele foi lançado no Brasil eu fiz questão de comprar. Só terminei de colecionar há pouco tempo, e por isso reli tudo em volume físico. Esse mangá é demais, acho que vou fazer um post sobre ele. Resumindo: um terremoto aconteceu no Japão há dez anos e deixou metade do país afundado no mar. Para arrecadar dinheiro para ajudar as vítimas do terremoto e reconstruir o país, uma penitenciária de iniciativa privada, a Deadman Wonderland, foi criada. Lá, os presos estrelam shows e espetáculos para o público geral. É como se fosse um circo gigante. No entanto, parece que a penitenciária é apenas uma fachada para experimentos cruéis e batalhas sangrentas até a morte. É INCRÍVEL, TODOS DEVEM LER.

Esse mês eu também li o primeiro volume de Tetsugaku Letra, um mangá slice of life fofinho. É bem dramático, tem uma menina alta que joga basquete e um garoto que quer ser dançarino, dentre outras coisas, e quero ler os demais volumes logo. 

Li ontem (25/03) All You Need is Kill e ESTOU MARAVILHADA COM A QUALIDADE DESTA OBRA. Não tem fanservice, a pesar de ter lutas e combates espetaculares! Não tem objetificação feminina, pelo contrário, tem uma personagem feminina incrível, forte e destemida! É uma história com extraterrestres e viajem no tempo que NÃO É sem noção! Melhor de tudo: O TRAÇO É LINDO (ninguém esperava outra coisa do Takeshi Obata). Aliás, esse mangá inspirou o filme com o Tom Cruise "No Limite do Amanhã". Não assisti ainda mas, se for metade do que o mangá é, já sei que é um filme excelente.
Quadrinhos

Ms. Marvel #05 Batgirl #00 Batgirl #01 - Os Novos 52

Na mesma medida em que eu li muitos mangás esse mês, li poucos quadrinhos. Eu li o volume novo que saiu da Ms. Marvel - que é incrível. Preciso mesmo fazer o post sobre essa HQ - e li os dois primeiros volumes da nova Batgirl.

Eu li recentemente A Piada Mortal e achei bem legal que a história da Batgirl, que é a Barbara Gordon, afinal, bate com os acontecimentos de APM. Na HQ, o Coringa e  seus capangas atiraram na Barbara, deixando-a paralítica. Em Batgirl, é revelado que ela conseguiu voltar a andar após alguns anos, fazendo fisioterapia. Eu só li os dois primeiros volumes e ainda não sei bem o que esperar da história, mas eu estou gostando.

Livros

A Tormenta de Espadas O Festim dos Corvos Dom Casmurro Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

Sim, meus amigos e amigas, é verdade: eu só li quatro livros em março. Como isso pode acontecer? É algum tipo de bruxaria? Estou doente? Morrendo? Meus olhos caíram? Todos os livros do mundo pegaram fogo? Não. A verdade é que, mesmo tendo lido apenas 4 livros, três deles foram livros ENORMES.

Todo mundo sabe que o menor livro da série As Crônicas de Gelo e fogo é bem maior do que qualquer livro comum. Em março eu li nada mais, nada menos do que DOIS livros inteiros dessa saga e EU NÃO PODERIA ESTAR MAIS FELIZ! Falta só um livro para eu terminar de ler os cinco já publicados e então definhar esperando pelo lançamento do sexto. Enfim, A Tormenta de Espadas se revelou meu livro favorito da série até o momento, mas O Festim dos Corvos teve um final surpreendente. Mal posso esperar para começar A Dança dos Dragões, mas a verdade é que vou esperar um pouquinho mesmo. Em abril vou dar um tempo nos tijolos livros grandes e ler meus livros normais, que estão se acumulando.

Outro livro gigante que li em março foi Os Homens que Não Amavam as Mulheres. Que livro! Que obra! Meu deus! Excelente! Eu amei o livro. Já tinha assistido o filme antes mas sinceramente não lembrava de nada. TUDO no livro foi uma surpresa para mim. Adorei a história e mal posso esperar para ver mais de Mikael e Lisbeth nos próximos livros, que aliás estão me observando sorrateiramente neste exato momento.

Li também Dom Casmurro. Não, eu nunca tinha lido este livro antes. Eu gostei da leitura, muito mais fácil do que todas as pessoas fazem parecer, mas achei o livro bem... simples. Por favor, não me batam, mas eu não me conectei a nenhum dos personagens e, sinceramente, não gostei do Bentinho. O cara é um chato mimado violento. Para mim, a Capitu não traiu ele. É claro que é impossível de provar, mas basta você conhecer um homem que é abusivo para saber que o Bentinho segue exatamente essa linha.

Em março eu tentei ler A Jangada de Pedra, do Saramago, mas desisti. Eu juro que tentei, mas não fui capaz. Eu detesto abandonar livros, mas, sinceramente, foi mais forte que eu. O pior de tudo é que eu tenho que ler este livro para a faculdade. Lá vou eu me lascar nas provas, mas sério, não sou capaz de ler mais uma sentença daquele livro sem pirar. No momento estou relendo O Lado Mais Sombrio para ler Atrás do Espelho, mas sei que não vou terminar em março. Spoiler Alert: não terminei.
______________________________________________

É isso por hoje, pessoal! Agora são 2h18 e estou MORTA de cansaço. Preciso dormir. Boa noite para vocês e não esqueçam de deixar um comentário contando se vocês acreditam ou não em aliens õ/

image
Eu, tentando fazer as coisas direito e falhando miseravelmente.

segunda-feira, 28 de março de 2016

A Grande Lista de Metas #2016 - Março



Olá, galeres! Tudo bom com vocês?

Hoje trago a vocês a edição de MARÇO d'A Grande Lista de Metas #2016. Eu admito: eu poderia ter feito mais. Poderia ter me dedicado mais. No entanto, ainda temos literalmente nove meses até o fim do mês. Dá para ter um bebê nesse tempo. Mas não eu, se eu tiver um filho ele tem que nascer em janeiro. Acho errado que pessoas nasçam no fim do ano.

Enfim, vamos ver minhas realizações do mês!


Segue a legenda:

Desafio em andamento (ง'̀-'́)ง
Desafio cumprido (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧
Desafio que larguei mão  ¯\_(ツ)_/¯
Ainda não comecei ( ͡° ͜ʖ ͡°)

01) Ler três romances da Jane Austen (0/3)


Culpada! Nesse belo mês de março, assim que eu terminei de ler A Tormenta de Espadas, eu pensei: olha só esse livro bonitinho da Jane Austen que não contém apenas um romance dela, mas TRÊS. Daí eu comecei a ler o primeiro (Razão e Sensibilidade) e depois de trinta páginas eu sabia que não queria ler o livro. Sei que ler 30 páginas não é nada que justifique abandonar não um, mas três livros, mas a questão é que eu já tinha lido mais da metade de Razão e Sensibilidade há uns dois anos, quando comprei o livro, e eu já tinha abandonado logo naquela vez, e depois de uma longa conversa com um amigo meu que tem um gosto literário parecido com o meu e não gosta de Jane Austen, decidi dropar. Peço perdão a quem é fã. 

Mas enfim, estou trocando esse livro no skoob por dois créditos (o livro é enorme e a edição é maravilhosa) ou por algum livro dos meus desejados (de preferência, Doutor Sono).

É CLARO que eu vou substituir esse desafio por outro, afinal, tenho que completar 16 desafios! Eis que...

01) Terminar de assistir How I Met Your Mother


ESTOU ENTEDIADA.
Sim! Estou atualmente na sexta temporada de How I Met Your Mother e minha nova meta é terminar esse seriado. Acredito que eu consigo, a pesar de todos me dizerem que a nona temporada é péssima e que o final te dá vontade de pular de um penhasco em chamas em direção a um portal para um universo onde esse seriado não exista. Mas é a vida  ¯\_(ツ)_/¯

02) Ler um mangá e uma HQ por mês (3/12) (3/12)


Tetsugaku Letra All You Need Is Kill Deadman Wonderland #13
Ms. Marvel #05 Batgirl #00

Eu li muitos mangás esse mês mas, em compensação, li poucos quadrinhos. Eu li do volume 2 ao 13 de Deadman Wonderland, que é um mangá espetacular, e eu prometo fazer uma postagem sobre esse mangá pra convencer todos vocês a lerem ele. Mas não vejam o anime, é péssimo. Sério. 

De mangá eu também li Tetsugaku Letra, um mangá super fofo que é slice of life, sobre um garoto que nunca se encaixou bem em atividades tipicamente masculinas que vira amigo de uma menina muito alta. Ele tentava jogar basquete mas não era bom o suficiente, ela tentava dançar mas não era boa o suficiente. Eles trocam de lugar e percebem que ela é muito melhor no basquete que ele e ele é melhor dançarino que ela, e isso não poderia ser mais normal. Looking foward para ler os próximos volumes.

Também li All You Need is Kill, sinceramente um dos melhores mangás que eu já li na vida. Vou fazer um post sobre ele e o filme, então não vou me alongar demais aqui.

De HQ não li quase nada, mas li o volume novo de Ms. Marvel (juro que vou fazer o post!) e os dois primeiros volumes de Batgirl.

03) Terminar de assistir Cosmos


Vocês filhos da p0t4 precisam de CIÊNCIA.

SIM! Eu terminei de assistir Cosmos! Dá para acreditar? Não sei o que vocês irão pensar de mim, mas cara, eu chorei em literalmente todos os episódios desse DOCUMENTÁRIO. Quem chora assistindo documentário? Eu, sempre eu. Eu choro muito, coloca um documentário na minha frente que você vai ter uma Nath chorosa. Não vou ser ridícula e falar que a ciência e o conhecimento são lindos e eu fico emocionada ao ter contato com os segredos do universo, mas é isso mesmo. FIGHT ME (ง'̀-'́)ง


04) Ler Sherlock Holmes completo (0/4)

05) Ler cinco livros clássicos (fora os já na lista) (1/5)



Sim, galeres! Eu li Dom Casmurro em março e, sinceramente, CAPITU NÃO TRAIU BENTINHO. Não quero transformar isso em briga de fandom, já que o fandom do Machado de Assis é todo cult e eu não, mas sério, quer um cara mais abusivo, complexado e doente que o Bentinho? Se eu ganhasse um real a cada vez no livro em que ele diz que mataria uma personagem só por esta ser mulher, eu estava rica. Capitu foi uma santa por ter aguentado esse homem. 

Me recomendem mais livros clássicos! Eu oficialmente desisti dos livros do Saramago que eu tinha em casa e ainda tenho que ler quatro clássicos esse ano. Mandem nudes dicas de leitura!

06) Terminar de assistir Friends


07) Assistir O Poderoso Chefão (0.1/3)


Para entender melhor, leia este post.

08) Assistir Matrix (0/3)
09) Assistir O Senhor dos Anéis (0/3)
10) Assistir Star Wars (0/6)

11) Terminar de ler As Crônicas de Gelo e Fogo (2/3)

Juro que nunca vou entender por que as pessoas gostam tanto da Daenerys. Ela é muito chata.
A Tormenta de Espadas O Festim dos Corvos

Eu li os volumes três e quatro de As Crônicas de Gelo e Fogo e NOSSA SENHORA, QUE LIVROS INCRÍVEIS. QUE OBRA, QUE SÉRIE, OH GRANDE MARTIN, ME ENSINE VOSSOS SEGREDOS.

Eu simplesmente amei A Tormenta de Espadas e o final de O Festim dos Corvos me deixou de boa aberta. Em abril não lerei nada do Martin, mas em maio irei ler A Dança dos Dragões e chorar muito até que o sexto livro seja dançado. Tô muito orgulhosa de mim mesma por ter lido dois livros tão grandes em um só mês!

12) Reler dez livros (2/10)
13) Fazer os piercings e tatuagens que eu quero (0/2)
14) Terminar o primeiro rascunho do meu primeiro livro

15) Assistir todos os filmes do Universo Marvel (7/13)


Homem de Ferro 3 - Poster / Capa / Cartaz - Oficial 1 Thor: O Mundo Sombrio - Poster / Capa / Cartaz - Oficial 1

Em março eu assisti apenas dois filmes da Marvel, mas tudo bem, em abril as coisas serão diferentes. Eu adorei Homem de Ferro 3, o melhor filme do Homem de Ferro com certeza. Eu adoro o universo do Thor, adoro a Jane Foster e basicamente sou a esposa do Loki então... Thor: O Mundo Sombrio é um filme ótimo. Mas sempre me pergunto se eles inventaram uma linguagem que faz sentido ou se o pessoal fica falando coisas sem sentido na hora que os elfos e outras criaturas falam... 

16) Assistir dois animes (0/2)
______________________________________________

É isso por hoje, pessoal! Até o próximo post com mais marotagens da Nath, e até o mês que vem para uma nova edição d'A Grande Lista de Metas #2016!


quinta-feira, 24 de março de 2016

Matutando #16 - Minha dificuldade para assistir filmes


Olá, galerinha! Tudo bom com vocês?

Hoje estou aqui / para lhe falar / mas com palavras / não sei dizer / como é grande / minha dificuldade / de ver filmeeeeeeeeeeeee.

A verdade é que eu sou péssima em ir direto ao ponto, então vou contar uma (ou talvez mais de uma) histórinha para vocês:

Era uma vez uma Nath assistindo Netflix. Ela estava muito feliz, assistindo How I Met Your Mother, quando ela viu que por acaso os 3 (três) filmes que compõe a trilogia O Poderoso Chefão estão disponíveis no famigerado Netflix.

Como talvez você saiba, assistir a trilogia O Poderoso Chefão está na minha lista de 16 metas para 2016. Coloquei os três filmes na minha lista e comecei a assistir o primeiro. Rola o casamento, algumas coisas acontecem, passou um tempo e eu estava cansada de assistir. Não entediada, mas vamos explorar isso mais para a frente. Eu fui ver quanto tempo já tinha assistido: 42 minutos. Mais ou menos a duração de um episódio de um seriado, mas vamos explorar isso mais para a frente. Eis que eu fui ver quanto tempo o filme tinha e eu descobri que o filme tem TRÊS FUCKING HORAS. Como se não bastasse, não só o primeiro, mas o segundo e o terceiro filme TAMBÉM TEM TRÊS FUCKING HORAS CADA! São nove horas! 

Estou decepcionado com você, Nathalia.
Existe uma lista enorme de todos os filmes que eu comecei e não terminei. Assisti, talvez, meia hora de um, dez minutos de outro, mais da metade daquele. Mas é muito difícil para mim terminar de assistir um filme. Existem duas situações em que eu de fato consigo assisti a um filme inteiro:

01) Eu estou no cinema e não vou desperdiçar meu dinheiro só por que tô com preguiça e;

02) Estou assistindo o filme com mais alguém e essa pessoa não é como eu e não vai querer parar o filme na metade.

Mas por que isso acontece? Qual o mistério por trás desse fenômeno? A verdade é: eu não consigo me comprometer a prestar atenção em nada por muito tempo.

NHOM NHOM NHOM
Mas é aí que as coisas ficam interessantes. Eu acompanho muitos seriados, muitos MESMO, e todo dia eu assisto pelo menos um episódio, Seriados normais tem cerca de 40 minutos por episódio, e sitcons tem cerca de 20 minutos.

Toda vez que eu vou ver um filme, sempre desanimo na metade, um pouco antes ou um pouco depois. Não importa o quão espetacular o filme seja. Isso pode ser facilmente explicado pelo fato de que o meu cérebro está programado para assistir 40 minutos e depois parar de prestar atenção. Hoje mesmo eu estava assistindo Thor - The Dark World e parei em 41 minutos por que tava cansada.

Esse é um dos motivos que me faz ter medo de não completar a meta desse ano. Eu coloquei MUITOS filmes na meta, mas como lidar se eu não consigo assistir eles?

Você assistiu quatro anos de televisão em cinco dias,
e isso nunca deveria acontecer.
Agora é que o mistério se torna ainda mais misterioso *música de mistério*:

Como é possível que eu tenha preguiça de assistir um filme inteiro, que geralmente tem cerca de 2 horas, mas já consegui:

01) Assistir uma temporada inteira de Friends em um dia;

02) Pelo menos 9 episódios de Supernatural e Castle em um dia (dias separados, mas);

03) Assistir Jessica Jones inteiro em 3 dias;

04) Muitos outros momentos envolvendo eu assistindo tantos episódios que meus olhos praticamente se desgrudaram do meu rosto?

Eu tenho vida. Juro.
Enfim, eu não tenho noção de comprometimento para assistir 2 horas de filme, mas consigo assistir 10 episódios de um seriado em um dia sem problemas. Isso é, de fato, falta de vergonha na cara. Admito. Culpada. Mas o que posso fazer? Faz mais sentido para mim demorar um semana para ver um filme, assistindo 20 minutos por dia, do que ver tudo de uma vez. Tenho probleminhas? Claro. Mas a vida é assim. 

E vocês, pessoal? Tem dificuldade em assistir filmes? Ou, talvez, dificuldade em assistir seriados? Cada um é diferente, compartilhe sua experiência! Agora, excuse me por que tem episódio novo de Supernatural para assistir ¯\_(ツ)_/¯

Nath is out!

domingo, 20 de março de 2016

Nath Escritora #02 - Restaurante



O Restaurante é um cenário de um sonho que costumava ser recorrente para mim. Já sonhei com este lugar dezenas de vezes, mas nos últimos anos não me lembro de ter sonhado. Quando eu tinha meus 12 anos e estava começando a produzir minhas primeiras ideias para livros, me lembro de ter inspirado um livro, que na época se chamaria "Intenso", que teria esse Restaurante como um lugar mágico. Mais tarde, acabei acoplando essa ideia à minha série principal de livros, "O Anjo de Vidro". Essa história que era "Intenso" ainda não tem um nome novo, mas é legal pensar que surgiu antes e foi adicionada ao universo de uma ideia que eu só fui ter muito tempo depois.
_____________________________________

Tudo o que existia para todos os lados era a grama alta e de um tom tão intenso de verde que era quase azul. Acima, o céu tinha a cor mais impossível de violeta, com duas luas douradas e idênticas suspensas no firmamento. Ambas as luas estavam no seu período crescente, e nenhuma estrela, ou fantasma de estrela, era visível dali.

Levantei-me, mas não sentia meu corpo de verdade. Eu parecia feita de fumaça, de vento, de nada. Por ser vento, voei livremente, sem realmente me importar com cansaço ou possíveis perigos. Tudo o que havia ali era grama e céu, e o mundo parecia tão jovem que ainda respirava, e eu era o ar do qual ele precisava.

Depois de tanto tempo vagando pelo gramado infinito, quando as luas já não estavam mais no céu e o mesmo era avermelhado, pude ver algo. Parecia uma mancha, uma escuridão no meio de todo um universo perfeito. Ao me aproximar percebi que a mancha de escuridão tinha um formato: uma enorme construção de pedra e gesso, vidro e madeira. Tudo aquilo parecia muito antigo, em ruínas, secular. A construção era um enorme restaurante, com um terraço amplo feito de pedra escura. As mesas eram de pedra e saiam direto do chão, e estavam quebradas e empoeiradas. Não havia cadeiras, apenas pedaços de madeira escura, provavelmente queimada, espalhados por todo lado. Teias de aranha cresciam nos lugares mais improváveis, e cacos de vidro colorido cobriam o chão, como se tivessem caído do céu em forma de chuva brilhante.

Após explorar o lugar percebi que havia uma entrada para a construção, que eu não havia reparado antes. Era uma entrada larga, sem porta, apenas coberta com uma manta púrpura. Afastei a manta e entrei no restaurante.

Não havia nada ali, exceto uma escuridão profunda. Tentei encontrar a manta novamente, mas não conseguia tocar nada. O chão era frio e estava molhado, e não havia mais nada por ali. Corri por todos os cantos, mas parecia não haver saída. Era tão escuro que eu não podia ver sequer um palmo à minha frente. Tudo o que eu conseguia captar com meus sentidos era um som pulsante de água corrente.

Foi então que percebi que o chão não estava apenas levemente molhado, mas o nível da água estava subindo. Antes a água estava apenas em meus pés, mas agora chegava em meus calcanhares. E então, eu vi uma luz.

Era uma luz tímida e bege, distante e quase se apagando. Corri até ela. Logo percebi que era uma pequena vela que flutuava na água, e várias outras velas iguais começaram a aparecer, traçando um caminho pela escuridão.

Segui o caminho até uma escadaria, que parecia uma pequena cachoeira de camadas. Desci a escada a passos curtos, com medo de cair, ignorando o fato de que a água ali não parecia seguir as leis da gravidade, e subia os degraus ao invés de descer. Por algum motivo, eu não podia mais voar.

Ao chegar no fim da escadaria eu podia sentir a presença de mais pessoas. Subitamente, as luzes se ascenderam e eu estava flutuando, como se estivesse pendurada no centro de uma sala sem teto ou chão. A escadaria havia sumido, e tudo o que restava eram longas paredes marrons infinitas, como se eu estivesse suspensa no centro de um poço de elevador, só que muito mais largo do que deveria ser.

         Uma figura masculina, sem idade definida e com o corpo completamente azul, surgiu na minha frente.

         Tentei abrir a boca para perguntar algo, mas não consegui. Parecia que meus lábios estavam costurados. Mas não entrei em pânico, pois o rosto do homem à minha frente era tão calmo que eu só conseguia pensar em coisas boas. Ele estendeu a mão para mim e eu a segurei. Era quente e viva, e eu soube que podia confiar nele.

         Ele me guiou em direção à parede leste, onde percebi que havia uma porta, da mesma cor da parede. Ele me olhou com a expressão fechada, como se estivesse me advertindo do que eu veria a seguir. Assenti, e um sorriso maroto surgiu no rosto dele.

         Mas nada poderia ter me preparado para o que viria a seguir. A nova sala era pequena, como um banheiro compacto. As paredes eram de azulejos brancos e lustrosos, e no chão havia uma massa ensanguentada.

         Milhares de pequenos vermes e insetos corriam para todos os lados. Eles eram completamente negros e o sangue que os cobria fazia com que cintilassem em vermelho. Eles se amontoavam como se estivessem numa disputa por algo.

         Olhei para o homem ao meu lado, mas ele continuava com o olhar fixo nos vermes. Deve ter sentido meu olhar sobre ele, pois apontou para os vermes novamente. Olhei.

         Eles disputavam por algo, de fato.

         Alimento.

        Alguém estava ali no chão, morto. Estava de costas e tinha longos cabelos castanhos, com os fios ensopados de sangue. A pele era muito pálida e meio comida pelos vermes, e sangue ensopava cada centímetro do tronco e costas da figura. Parecia uma mulher.

         De repente, o homem de pele azul colocou sua mão esquerda no meu ombro. Não estava mais quente, mas sim fria como gelo. Olhei para ele, e sua pele parecia ter clareado uns 10 tons, pois agora era de um azul pastel gélido e doentio. O homem sorria, com sua boca cheia de dentes, mais do que deveriam, e apontava com veemência pra o corpo.



segunda-feira, 14 de março de 2016

Resumo do livro Édipo Rei, de Sófocles


Olá pessoal, tudo bom?

Há algum tempo atrás eu fiz um post resumindo o livro Jonathan Strange & Mr. Norrell (clique aqui para ler). JS&MN é um livro ENORME e cheio de detalhes, e enquanto eu o li eu ia tomando notas de acontecimentos importantes de cada capítulo, e o resumo ficou bem completo.

Eis que em novembro de 2015 meu professor de Estudo dos Clássicos, Marco, me deu algumas aulas interessantes sobre as grandes histórias épicas e sobre as tragédias gregas, que foram os pilares da literatura ocidental, e ele pediu para nossa sala (faço Letras) ler a peça Édipo Rei, de Sófocles, para que fizéssemos uma prova sobre a mesma. 

Édipo Rei é uma tragédia grega. Como toda boa tragédia grega, é uma história na qual o herói tem um dualidade ocorrendo dentro de si, um desequilíbrio, a Hybris. Infelizmente, o herói trágico nunca é capaz de alcançar o equilíbrio que consertaria sua falha tágica, sua Harmartya. No caso de Édipo Rei, seu desequilíbrio não partiu exclusivamente de dentro de si, mas também dos deuses, ou seja, ele estava predestinado a ter um fim trágico.

Existe uma diferença, ainda que sutil, entre uma história trágica e uma história épica. Elas não representam o mesmo tipo de história. Enquanto na história épica nós encontramos grandes heróis que vivem aventuras infinitas, na história trágica nós temos heróis que acabam encontrando um destino aterrorizante e sofrem terríveis consequências a partir disso.

Édipo, nosso herói trágico em Édipo Rei, influenciava e espelhava a sociedade grega naquela época nos campos da política, da religião e da economia. Se as coisas estavam indo mal na política, por exemplo, era comum que os escritores de peças (nota-se que Édipo Rei é da época em que os gregos já não eram mais uma cultura ágrafa, e os aedos, os poetas escolhidos pelas musas, eram escassos) escrevessem histórias que tentassem mostrar algo de errado na sociedade e que fizesse com que aqueles que fossem assistir à peça refletissem sobre o cenário atual grego.

Édipo Rei é uma peça simples que segue um desenrolar simples: no começo, nós somos apresentados ao grande problema que será desmembrado durante a peça (a grande peripécia). Em seguida, ocorre o desenvolvimento da trama, onde segredos são revelados e tudo o que deve vir à tona, vem à tona. Por fim, o final conclui tudo o que foi mostrado na peça até o momento de forma trágica, induzindo à reflexão e até mesmo ao horror.

Agora que já contextualizei vocês um pouco, vou colocar a ficha técnica do livro e meu resumo detalhado dele. É óbvio que o resumo contém spoilers, então se você ainda não leu o livro e não quer ser fuzilado com spoilers, não leia a partir daqui. Se você já leu o livro ou está lendo e está tendo alguma dificuldade para entender a história, talvez este resumo te ajude!

Autor: Sófocles
Título original: OΙΔΙΠΟΥΣ ΤΥΡΑΝΝΟΣ
Editora: Difel
É bom?: ★★★★★
Páginas: 185

Sinopse: Sófocles (495 a.C. - 406 a.C.) nasceu e morreu em Atenas, na Grécia, e foi um dos maiores intelectuais da antiguidade clássica. Autor prolífico e consagrado em seu tempo, produziu cerca de 120 peças das quais restaram conservadas apenas sete, entre as quais, Antígona, Ajax, Electra e Édipo Rei, talvez a mais célebre de todas as tragédias. Atormentado pela profecia de Delfos, de que iria matar o pai e desposar a mãe, Édipo tenta – inutilmente – fugir de seu destino...






PERSONAGENS:

O Rei Édipo - O Sacerdote - Creonte (cunhado de Édipo) - Corifeu - Jocasta (mulher/mãe de Édipo) - Tirésias (o vidente) - Rei Laios (pai de Édipo) - Políbio e Mérope (pais adotivos de Édipo) - Escravo - Mensageiro - Servo - O Coro.

-> O livro começa quando o Sacerdote pede que Édipo acabe com a praga que assola Atenas. Édipo pede que seu cunhado, Creonte, consulte o oráculo em seu lugar para descobrir o que tem causado essas pragas, mas Creonte desaparece por um tempo.

Quando Creonte volta ele diz que, para salvar Atenas, eles devem livrar a cidade de uma mácula. Devem purificar a cidade. Para isso, deve-se punir com a morte o assassino do príncipe Laios, o rei de Atenas antes de Édipo.

Laios morreu a caminho de Tebas. Édipo e Creonte discutem os motivos que o assassino teria e possíveis formas de encontrar o assassino. 

Eis que o coro entra. Ele clama aos deuses que os ajudem a sobreviver às pragas que assolam Atenas.

Édipo retorna em cena e diz a Corifeu que quer encontrar o assassino de Laios. Ele roga uma praga ao assassino, dizendo que ele deve sofrer e viver em miséria pelo resto de seus dias como forma de punição pelo terrível crime.

Corifeu diz que, por boatos, Laios foi morto por viajantes. Tirésias, um vidente cego e velho, é convocado para ajudar Édipo na busca pelo assassino. Tirésias, ao encontrar com Édipo, se recusa a falar o que viu em suas divinações. Depois de ser acusado de assassino por Édipo, Tirésias diz que o próprio Édipo é o culpado das pragas em Atenas. Tirésias declara que Édipo é o assassino de Laios.

"Tu és teu próprio inimigo"

Tirésias acusa Édipo de não conhecer quem é, quem são seus pais ou qual sua história.

O coro volta: eles indagam se Édipo seria mesmo capaz de tais acusações.

Creonte briga com Édipo por causa de Tirésias, mantendo sua palavra sobre o vidente. Creonte tenta convencer Édipo de que não quer roubar seu lugar como rei, mas Édipo não quer ouvir a razão.

Jocasta, mulher (e mãe) de Édipo, irmã de Creonte, entra em cena. Após discutir mais, Creonte sai para nunca mais voltar. Jocasta conta para Édipo como dizem que Laios foi morto: por um bando de viajantes, perto de Delfos e Dáulis, pouco antes de Édipo se tornar rei.

Édipo começa a acreditar que possa ter matado Laios. Jocasta parte em busca de um escravo que tinha sido a única testemunha da morte de Laios, e enquanto isso Édipo passa um tempo questionando a si mesmo.

Édipo tinha recebido uma profecia que dizia que ele mataria seu pai (Laios, a pesar de achar que era Políbio, seu pai adotivo) e casaria com sua mãe (Jocasta, a pesar de ele achar que era Mérope, sua mãe adotiva). Por causa dessa profecia, Édipo fugiu da pequena cidade onde morava e se mudou para Atenas. Fez isso para impedir que a profecia se realizasse.

Jocasta retorna com o escravo. Ele conta que, quando Jocasta teve um bebê, ela recebeu uma profecia que dizia que o seu filho mataria o pai (Laios), e com medo de que isso acontecesse ela pediu que o escravo matasse a criança. O escravo não foi capaz de tal ato, e deu a criança para um casal pobre criar (Políbio e Mérope). A criança era Édipo.

Com toda a revelação de patricídio, assassinato e incesto, Jocasta comete suicídio e Édipo fica louco, arranca seus próprios olhos e declara que apenas agora é capaz de ver quem ele realmente é. Corifeu isolou Édipo para que ele morresse longe de tudo e todos. Édipo morreu acreditando que tinha sido uma vítima cruel, uma marionete dos deuses, com um futuro infeliz do qual não foi capaz de escapar.
___________________

A peça termina assim. Minha humilde opinião é que, a pesar do livro ser um grande clássico da literatura, há muitos furos no roteiro e uma estranha continuidade nos fatos da história. Acredito que poderia ter havido mais emoção (pois a peça toda se baseia apenas em conversas e debates, não há ação nenhuma) e os personagens poderiam ser mais bem desenvolvidos. Não vi o Grande Édipo, capaz de resolver todos os mistérios. Vi apenas um homem mimado que se recusa a ouvir opinião de terceiros.

De qualquer forma, o livro é bom para se entender como o teatro funcionava naquela época. Para quem tiver interesse em ler o livro na íntegra (ele é bem curtinho, eu li em uma madrugada) existem vários e-books grátis (já que a peça foi escrita há mais de dois mil anos, é material cultural público). Clique aqui e você será direcionado para uma versão em e-book de Édipo Rei.

Espero que tenham gostado do resumo, espero que tenha sido útil de alguma forma! Beijos, e até o próximo post :*