terça-feira, 22 de julho de 2014

Os Instrumentos Mortais - fantasia urbana, protagonistas incríveis e muita ação!



Este post não tem spoilers dos livros da saga, exceto o primeiro.
Mas são spoilers leves e desimportantes, então leia sem medo ;)

Ai, meu coração.
Minha história com a série Os Instrumentos Mortais começou em 2010, quando a série ainda não tinha sido publicada no Brasil. Lembro que naquela época, a maravilhosa época do orkut, havia aquelas comunidades onde várias pessoas baixavam ebooks em inglês e traduziam usando o google tradutor e seus dotes linguísticos e saiam por aí distribuindo pelas internets para quem quisesse ler. Quando era um livro famoso, tipo Crepúsculo, a editora (no caso, Intrínseca) fazia de tudo para tirar o ebook de circulação, fechava comunidades e colocava nomes na justiça.
Não estou defendendo a pirataria digital, mas eu só amo ler hoje por que, naquela época, eu tinha acesso aos ebooks. Eu tinha tinha 13 anos em 2010 e não tinha dinheiro para comprar livros, ganhava livros no natal e no meu aniversário e olhe lá. Era impossível sair lendo o que eu quisesse. Eu encontrava a solução para este problema baixando ebooks. Hoje em dia eu tenho 85% dos livros que eu tinha lido naquela época. Eu só conheci a série Artemis Fowl por causa dos ebooks, e agora Artemis Fowl é uma das minhas sagas prediletas e eu tenho a coleção completa. Eu li Harry Potter por ebook e hoje em dia tenho todos os livros. Comecei a ler Os Instrumentos Mortais e tenho todos os livros da Tia Cassie, quatro anos depois.
Obrigado, ebooks!


"Só para reforçar, meu cabelo é loiro natural"
Lembro que o que me fez querer ler Cidade dos Ossos foi a sinopse do primeiro livro.

"Quando a jovem Clary decide ir para Nova York se divertir numa discoteca, ela nuca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece no ar e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria."

Doce ilusão! A série Os Intrumentos Mortais é muito mais do que essa sinopse.
The Mortal Instruments, ou TMI, conta a história fantástica dos Caçadores de Sombras, seres humanos metade anjo, os famosos Nephilim. Os Caçadores de Sombra tem como missão (recebida do Anjo Raziel) livrar a terra dos demônios e manter a paz entre os membros do submundo.
Os membros do submundo são muitos. Vão desde os vampiros (não, não brilham no sol) até lobisomens, de fadas a feiticeiros, e muito mais. Os Caçadores de Sombras não tem poderes especiais como os feiticeiros nem força sobre-humana como os lobisomens. Tudo o que eles tem é o conhecimento do que está escondido no mundo, anos de treinamento especial e as runas: desenhos que permitem um Caçador de Sombras de usar uma habilidade temporária.

Jace e suas runas.

Algumas das runas ;)
Os Caçadores de Sombras andam tendo problemas. Eles tinham alguns presentes do Anjo Raziel - um espelho, uma espada e um cálice (os Instrumentos Mortais) -, mas esses objetos foram todos perdidos de alguma forma após a luta de Valentim e o Ciclo e a Clave. A Clave é o conselho dos Caçadores de Sombras, onde as decisões são tomadas e os guerreiros se reúnem. O Ciclo era um grupo de Caçadores de Sombras que não acreditava na ideologia da Clave. São basicamente insurgentes, que queriam derrubar o sistema e criar outro. O líder do Ciclo era Valentim, que se revelou um homem com ideais deturpados e sede de sangue. Sorte dos Caçadores de Sombras que ele morreu!

A Espada Mortal e o Cálice Mortal
Mas será que ele morreu mesmo?
A premissa da série é essa. E, pelo Anjo, como essa história cresceu! Em seis livros a tia Cassie conseguiu criar um universo novo, conseguiu criar uma história de guerra inesquecível, conseguiu escrever uma das melhores fantasias urbanas de todos os tempos!
O melhor da série Os Instrumentos Mortais é, sem dúvida, o fato de que os seus personagens são os mais incríveis possíveis!


Clary Fray é uma garota que acaba de completar 15 anos e que vê seu mundo virado de cabeça para baixo quando descobre que sua mãe era uma Caçadora de Sombras - pior, mulher de Valentim! - e que fugiu dessa vida por medo da Clave. O problema é que Clary consegue ver demônios e desenhar runas! Até quando ela vai conseguir se esconder dos demônios sem saber lutar contra eles?
Clary é a protagonista da série. Protagonistas femininas são, geralmente, bobonas e sem sal, mas não a Clary. Ela é uma protagonista forte, que faz de tudo por sua mãe e seus amigos. Ela não tem medo de lutar e usar seu dom para runas.


Simon Lewis é meu personagem favorito da série, por que ele é simplesmente o cara nerdão melhor amigo da Clary, guitarrista em uma banda e completamente fofo! Simon não tem nada a ver com os Caçadores de Sombras, exceto que ele é o melhor amigo de Clary e ela o arrasta para todo e qualquer canto, incluindo os perigosos.
Simon, mesmo sendo o típico garoto nerd, é um personagem muito carismático, engraçado e leal. Sério, se eu tivesse uma amiga como a Clary, ia morrer de medo de fazer metade das coisas que ele faz por ela.


Jace Wayland/Lightwood/Morgenstern/Herondale é o cara mais foda do universo literário. Ele é um rapaz de 16 anos caçador de sombras. Ele foi treinado desde criança por um pai autoritário, por isso é provavelmente o caçador de sombras mais jovem a ser tão forte. Fora isso, ele é absolutamente lindo, sarcástico, hilário e loiro natural.
Mesmo sendo o típico badboy, Jace consegue ser um personagem profundo e interessante. Ele tem essa fachada de lindo e bem resolvido, mas ele tem algumas cicatrizes emocionais deixadas pelo seu período de infância que o fazem ser frio, instável e, às vezes, muito impulsivo. Ele é muito leal e tem um grande amor por seus irmãos de criação, mas pensa somente em si mesmo com frequência e nem sempre calcula as consequências de seus atos.


Alec Lightwood é um garoto caçador de sombras, melhor amigo de Jace e seu parabatai - uma espécie de parceiro guerreiro. A princípio ele é um cara chato que odeia a Clary, odeia os mundanos, odeia e situação e odeia basicamente tudo. No decorrer da história ele acaba amolecendo, e você percebe que ele só é do jeito que é por que foi forçado a crescer muito cedo, muitas vezes fazendo papel de pai para sua irmã e Jace.


Isabelle Lightwood é irmã mais nova de Alec e é a personagem feminina mais GIRLPOWER da história da humanidade. Ela é caçadora de sombras desde que nasceu e é muito forte. Além de ser uma ninja, Isabelle também é simplesmente a garota mais linda que muitos rapazes Caçadores de Sombras já viu, por isso é muito disputada e conhecida por destruir corações por aí.


Magnus Bane é um feiticeiro de mais de 400 anos, e simplesmente o personagem mais FABULOSO da série. Ele dá festas incríveis, é pansexual e adora dar respostas irônicas para todo mundo. Ele é muito poderoso e frequentemente ele ajuda os Caçadores de Sombras em suas empreitadas, e é numa dessas que ele conhece Alec Lightwood...


Valentim Morgenstern é o vilãozão da série, e um personagem muito importante em todos os sentidos. Ele é o causador de toda essa guerra interna dos Caçadores de Sombras, é o causador da discórdia entre os membros do submundo e eles mesmos/os Caçadores de Sombras e basicamente é o cara que todo mundo odeia.
Quando ele volta para tocar o terror na Clave é que o bicho pega. Ah, ele é pai da Clary, como já dito. Aaah, lembra do começo do post, quando eu disse que os Caçadores de Sombras não tem poderes próprios, apenas o poder das runas, que é temporário? Valentim não gosta disso. Nem um pouco. Nadinha mesmo.


Eu amo Os Instrumentos Mortais incondicionalmente, nada no mundo pode me fazer deixar de gostar desta série. Ela me trás lembranças incríveis e foi uma das primeiras sagas literárias que eu li. Agora que terminei o sexto livro, nem sei mais o que fazer da vida. Terminar uma série é como se despedir para sempre de um amigo que você ama. Você até pode até reler os livros, mas nunca vai ser a mesma coisa. Nunca vai haver a surpresa, nunca vai haver a expectativa de que as coisas fiquem bem. Você já sabe quem morre, quem vive, quem é o traidor, quem é o amigo. Mas eu não iria querer me esquecer dessa série, nunca. Eu lutei ao lado dos Caçadores de Sombras, vesti meu uniforme de batalha e empunhei minha estela até o último segundo. 

Meu Deus, como vou sentir falta desta série! Obrigado, Tia Cassie. Obrigado.



"Livremente servimos

Porque livremente amamos, conforme nosso arbítrio

De amar ou não; assim nos reerguemos ou caímos."


Cidade do Fogo Celestial

sábado, 19 de julho de 2014

La Caixita #33


Olá, jovens! 
Já faz mais de um mês que saiu a última La Caixita. Tenho comprado/trocado/ganhado menos livros, e finalmente estou conseguindo ler mais livros ao invés de simplesmente ficar enrolando e deixando a pilha aumentar. Vamos ver o que chegou dessa vez!


Estou perto de completar minha coleção da série Os Instrumentos Mortais! Finalmente consegui trocar uns livros que eu não queria mais pelo quinto livro da série). Eu reli a série toda no último mês só para poder ler o quinto livro, que eu ainda não tinha lido, e o sexto, que saiu agora no Brasil. 



O sexto livro chegou para mim há algum tempo e eu terminei de lê-lo HOJE. Quero muito fazer uma resenha e contar tudo o que eu senti com o desfecho desta série <3
O livro veio com "edição de colecionador" escrito na folha de rosto, espero que meus netos não o vendam no futuro u.u
Depois de dois anos tendo lido O Mapa do Tempo eu FINALMENTE consegui trocar ele! Esse livro é tão perfeito, e me magoa saber que a continuação não virá para o Brasil por que o primeiro vendeu pouco por aqui. O livro é 80% narração, tem uma linguagem meio avançada e uma história que pode te confundir no começo, mas é um livro TÃO perfeito que eu me apaixonei por ele. 
Vou reler umas 30 vezes agora que possuo esta lindeza!


Estou tentando colecionar a série Artemis Fowl. Foi uma das primeiras séries que eu li, quando eu tinha entre 13 e 14 anos, e eu me apaixonei. É um livro divertido, parecido com Percy Jackson e Harry Potter, mas bem melhor que PJO e quase tão bom quanto HP. Faltam apenas três livros para minha coleção, agora que consegui o segundo, Uma Aventura no Ártico. Troquei este livro pelo skoob plus e o cara que me mandou é o Albarus Andreos, autor de A Fome de Íbus, e ele foi super gente fina e me deu um exemplar do livro dele de presente. Espero poder lê-lo logo!


Comprei O Códex dos Caçadores de Sombras na Submarino, e estava bem barato (R$16). O livro é muito informativo para quem ama a série (tipo... eu) e tem comentários engraçados dos personagens, como se eles tivessem rabiscado o livro. Chorei de rir com alguns trechos (e, se eu digo isso, é por que chorei mesmo! Amo o humor nerd do Simon <3) e as ilustrações "da Clary" são maravilhosas, bem como eu imaginava que a Clary desenharia (já que ela é fã de mangá e tals).
Serena eu troquei no skoob, depois de ler uma resenha maravilhosa que me fez querer o livro fortemente. Confesso que não era o que eu esperava: o livro é bem mais complexo, e eu achei um pouco complicado acompanhar todas as referências políticas que o autor insere. Mas, quando terminei de ler, eu não conseguia pensar em nada além de: "CARA, que livro incrível!".
Louco aos Poucos eu também troquei pelo skoob e, JESUS, QUE LIVRO LOUCO! Eu gostei muito, li o livro (que tem quase 600 páginas) em poucos dias. Eu ri demais com vários trechos, me emocionei com outros, e amei o livro, no geral. Essa autora é incrível.


Se tem uma coisa que eu ODEIO nesse mundo são livros com o título/nome do autor virados para baixo quando você coloca o livro sobre a mesa. QUE RAIVA! Por que não padronizar? Parece que eu coloquei o livro do lado errado.


Comprei pelo Estante Virtual, um sebo de livros online, os livros Viagens no tempo no universo de Einstein e O Livro das Garotas Audaciosas. Os livros vieram novíssimos e foram bem baratos, por isso eu sempre recomendo esse sebo, é MUITO confiável MESMO. Já comprei lá várias vezes. 


Tenho a coleção completa agora! Acho esses dois livros muito bons. Não li TUDO, por que são livros grandes e os conselhos são mais coisa de momento, que você lê e tenta fazer. É tipo um guia para a vida, misturado com assuntos interessantes, dicas e curiosidades. A pesar de terem separado por gênero (um livro para meninos e outro para meninas) acho que quase 100% do conteúdo se aplica a ambos os gêneros. Afinal. um menino pode querer fazer um capa de tecido para um livro velho (conteúdo do livro das Garotas) e uma garota pode querer aprender a fazer um carrinho de rolimã (conteúdo do livro dos Garotos). A diferença mesmo é que o livro das Garotas ensina penteados para se fazer com bandana ou lápis (que no meu caso são inúteis, já que eu tenho cabelo de menino) e o livro dos Garotos explica coisas sobre meninas (sério! Mas não é machista, é sobre ser gentil e entender que elas podem ou não ter interesses diferentes, e que isso não faz diferença no fim das contas, se ela for realmente legal).


Consegui através de trocas pelo skoob plus três livros da série Artemis Fowl! Eu já li até o sexto da série, então é claro que já li O Código Eterno (meu favorito, junto com o quinto <3). Já comprei os últimos três livros da série, espero que eles cheguem logo *O*


Depois de um tempão finalmente consegui a HQ do primeiro livro! A HQ é ótima, a adaptação do livro ficou perfeita e eu li super rápido! O livro é todo colorido e o desenhista conseguiu fazer os personagens (principalmente os personagens do Povo) ficarem maravilhosos! Só não concordei muito com a adaptação do Potrus, mas ficou muito bom no geral!


O Arquivo Artemis Fowl é um livro especial da série (tipo aqueles livros de curiosidades e pequenos contos de Percy Jackson, sabe?) e tem várias curiosidades, entrevistas com os personagens, jogos e contos interessantes. É um livro super fofo, um pouco menos que os demais da série, e tem capa dura! <3

Foi isso que chegou para mim nesse mês! Espero que tenham gostado do post. Até a próxima ^.^



terça-feira, 8 de julho de 2014

Matutando #09 - A juventude é uma ilusão (?)


Acho que ser jovem é um momento da vida muito ingrato, mas é aquele momento decisivo, onde tudo o que vai acontecer durante sua vida adulta fica definido. Quando a gente é jovem - e eu não falo só por mim, mas por todos os jovens - nós temos essa ideia fixa de que somos eternos, de que as coisas que a gente conhece e vive vão durar para sempre. A gente não percebe o tempo passando, não percebe o cabelo ficando mais comprido, não percebe as dores nas pernas e não percebe as pessoas ficando cada vez mais distantes. Ser jovem é achar que o mundo parou para você, que as coisas estão num estado estacionário e eterno. Você se sente como um deus, um deus renegado pelos outros, um deus imortal e absoluto. Claro, ser jovem não passa de uma ilusão. A vida não passa de uma ilusão. Tudo começa tão rápido e, quando a gente para olhar, nada está mais acontecendo. São só lembranças. Achar que somos eternos é o que faz a juventude tão especial. Achar que os rostos bonitos e os amigos superficiais vão durar para sempre é o que mantém a juventude especial. Por que, se a gente não pode se iludir na própria desgraça, para que serve ser jovem, afinal?

A juventude é fantástica, realmente. E passa tão rápido! Já tenho quase dezoito anos, e nem parece que mudei alguma coisas desde quando eu tinha 10. Tenho os mesmos amigos, estudo na mesma escola, faço as mesmas coisas. Mas será que os meus amigos são os mesmos, ou mudaram completamente dentro de suas próprias cabeças? Será que minha escola é a mesma, ou será que tudo nela mudou, menos o nome? Será que as coisas que eu faço são iguais, ou será que eu só mantenho essa rotina infinita de fazer mil coisas diferentes todos os dias?

Em que sala escura, em que rua vazia, em que canto do mundo eu me esqueci? Eu não vou viver para sempre, mas queria viver tempo o suficiente para me encontrar, ou para encontrar alguém capaz de fazer isso por mim. Eu sou jovem e não sou eterna, mas alguma coisa é, no fim das contas?











"Não é questão de sorte, mas sim de tempo. Começar de novo com um novo nome, um novo dia vem e eu estou finalmente livre. Este é quem eu realmente sou, em meu rosto há um mapa do mundo. Eu devo lembrar que este é apenas um jogo em defesa de nossos sonhos, o nascimento de uma música e a morte de um sonho. Nós lutaremos até a morte. As orações que fizemos foram como uma droga, mas a história continua. Uma avenida de esperança e sonhos"