domingo, 31 de maio de 2015

Desafio de leitura 2015 - Maio


E aí, galera humilde!

Hoje trago mais uma edição do DESAFIO DE LEITURA 2015! Esse mês de maio foi cheio de trabalhos e provas na faculdade (pior, ainda nem terminaram todas as provas e trabalhos) e não deu para ler muito. Vamos conferir o que aconteceu de bom:

1) Ler um livro com mais de 600 páginas Doce e Distante, da Libba Bray (688 páginas)
2) Ler três livros clássicos Li Laços de Família, que junto com Capitães da Areia e O Mágico de Oz forma três livros *-*
3) Ler um livro que virou filme Capitães da Areia, de Jorge Amado
4) Ler um livro que virou seriado Jonathan Strange & Mr. Norrell, de Susanna Clarke
5) Ler o primeiro livro da série Game of Thrones
6) Ler um livro cujo idioma original é o espanhol
7) Ler um livro com números no título Poderosa 2, 3, 4 e 5 (conta, sim)
8) Ler um livro escrito por alguém com menos de 30 anos Legend, de Marie Lu (hoje ela tem 30 anos, mas quando publicou o livro tinha 27)
9) Ler um livro com personagens não humanos O Herói Perdido - Rick Riordan (tem deuses, semideuses e monstros)
10) Ler um livro de comédia O Xangô de Baker Street, de Jô Soares
11) Ler um suspense/mistério O Xangô de Baker Street, de Jô Soares
12) Ler um livro de contos e/ou crônicas As Crônicas de Bane, de Cassandra Clare, Sarah Rees Brenan e Maureen Johnson
13) Ler um livro oriental Deadman Wonderland #13, de Jinsei Kataoka e Kazuma Kondou
14) Ler uma biografia  Não entre em pânico - Neil Gaiman
15) Ler uma autobiografia O Salmão da Dúvida - Douglas Adams
16) Ler um livro nacional contemporâneo Poderosa, de Sergio Klein. Eu amava essa série quando tinha meus 12-13 anos
17) Ler o livro de estréia de um autor Legend, de Marie Lu
18) Ler um livro que faz parte da lista do Charlie de As Vantagens de Ser Invisível
19) Ler um livro recomendado por um amigo Capitães da Areia, de Jorge Amado, que meu namorado elogiou tanto que eu PRECISEI ler
20) Ler uma fantasia medieval A Lenda de Ruff Ghanor, de Leonel Caldela
21) Ler um livro que é spin-off de uma série
22) Ler um livro em um dia Legend, de Marie Lu, tão legal que nem dá para largar
23) Ler um livro que se passe num lugar que quero visitar O Salmão da Dúvida, de Douglas Adams. Antes de ler o livro nem sabia que queria visitar. Ele conta sobre uma ilha paradisíaca incrível na Austrália, em que você pode nadar ao lado de enguias! Quero muito visitar esse lugar.
24) Ler uma trilogia Trilogia Legend, adivinha o nome da autora!
25) Ler um livro com resenhas negativas Whisper, de Phoebe Kitanidis. Não é pra menos, o livro não é muito bom, não
26) Ler um livro da minha infância O Pequeno Vampiro, de Angela Sommer-Bodenburg, um livro que me deixou sem dormir no auge dos meus sete anos
27) Ler um livro com triângulo amoroso Legend. É um triângulo amoroso sem muito drama desnecessário
28) Ler uma graphic novel Scott Pilgrim Contra o Mundo, de Bryan Lee O'Malley. Li os dois últimos volumes.
29) Ler um livro de um autor que eu não conhecia Eleanor & Park, de Rainbow Rowell. Eu mal tinha ouvido falar da autora e foi o primeiro livro que li dela. Você pode ler a resenha dele clicando aqui.
30) Ler um livro emprestado Laços de Família, de Clarice Lispector, que peguei da faculdade.

Esse mês eu cumpri apenas dois itens da lista *sons de tristeza*. Mas fica bem mais difícil realizar as tarefas conforme os meses passam, pois são tarefas cada vez mais específicas. Mas vamos com calma, ainda tenho 7 meses para DESTRUIR COMPLETAMENTE os 4 itens restantes *sons de alegria*.

Nesse belo mês de maio eu li apenas seis livros. Vamos entender por que motivo, razão ou circunstância:

A Lenda de Ruff Ghanor Jonathan Strange & Mr. Norrell A Terra das Sombras A Menina que Roubava Livros
O Dia do Curinga Quem é Você, Alasca?

O primeiro livro que li no mês de maio foi A Lenda de Ruff Ghanor, de Leonel Caldela. Peguei o livro emprestado com meu namorado. É um livro de fantasia nacional (yay) baseado num mundo simples de RPG. A história é ótima e você pode conferir minha resenha aqui.

Em seguida, li Jonathan Strange & Mr. Norrell. Ah, esse livro. Levei duas semanas inteiras para ler este livro, isso por que eu já tinha lido pouco menos da metade. Amo esse livro DEMAIS, e você pode conferir meu resumo aqui. Mal consigo esperar por legendarem os episódios da série, que está saindo agora *-*

Reli Terra das Sombras, primeiro livro da série A Mediadora. Estou tentando juntar todos os livros da série (são seis) trocando-os pelo skoob plus, e até agora já consegui os quatro primeiros. O livro é super curto (pouco mais de 200 páginas) e muito nostálgico, pois foi uma das primeiras séries que eu li <3

Reli também A Menina que Roubava Livros. Chorei mais ainda do que na primeira vez, e confesso que tendo lido novamente depois de uns 4 anos eu entendi melhor a história. Assisti o filme recentemente e gostei bastante também =D

Peguei emprestado O Dia do Curinga. É um livro muito interessante sobre filosofia. O autor é norueguês, e escreveu também O Mundo de Sofia. Eu curti bastante a história, a pesar de ter ficado meio confusa em alguns momentos.

Por último mas não menos importante, reli Quem é você, Alasca?, do John Green. Esse livro é incrível e me dá muitos feels toda vez que o leio. Cara, John Green é um gênio mesmo.

Esse mês foi cheio de trabalhos e provas. De fato, ainda tenho um trabalho para apresentar e provas para fazer. Me desejem sorte! Logo em breve virão as FÉRIAS *sons de animação*

Até Lúcifer está contente.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Surface Tragus - Como funciona esse piercing?



Oi, pessoas cheirosas e divas!

Eu fiz 18 anos no dia 18 de abril (faz mais de um mês, mas okay) e nesse belo dia eu me direcionei a um body piercer e fiz dois piercings novos - pois eu tenho 18 anos e posso 8-)

Enfim, eu já tinha feito um piercing antes com 16 anos, o Industrial Piercing (aquele transversal). Doeu, sangrou e demorou quase dois meses para cicatrizar completamente. A pesar de tal trauma, eu não aprendo mesmo e decidi furar o surface tragus dos dois lados. O piercing é tão discreto que é até meio difícil de ver, vide minha foto acima com a camisa do bátima.


Essa sou eu =D

Meu objetivo com este post é mostrar meu piercing lindo e divo esclarecer algumas dúvidas que eu mesma tinha antes de colocar os brincos. Então se você está querendo furar seu surface tragus, NÃO TEMAS CRIATURA, estou aqui para responder vossas indagações:

1- Dói?
Não. Claro, só posso falar por mim mesma, mas não doeu em mim. Eu furei as duas orelhas no mesmo dia, e não doeu nada, absolutamente nada. Eu sinceramente nem senti o furo. Foi rápido demais, o processo todo durou cerca de 10 minutos, não sangrou e não me deixou com a orelha dolorida. Quando fiz o piercing transversal (veja foto acima) doeu muito e ficou doendo por dias, mas o surface tragus não doeu nem na hora nem depois.

2 - Quando tempo dura a cicatrização?
Para mim, durou cerca de uma semana. Não senti dor em nenhum momento, nem mesmo na hora de dormir, mas de vez em quando saia um pouco de sange e formava casquinha. É importante lembrar que o piercing é um machucado aberto que precisa de cuidados. Eu limpava todos os dias pelo menos três vezes com água oxigenada e um algodão, sem esfregar, apenas pressionado um pouco. Agora que já faz mais de um mês que eu furei não sangra nem forma casquinha mais, mas eu limpo os furos uma vez por dia com sabão e água normal.

3 - Como faz para usar fone de ouvido?
Olha, é só usar normalmente. No dia em que eu furei eu fiquei com medo de colocar fone e estourar todas as veias do meu rosto (sou paranóica), mas dois dias depois eu coloquei os fones normalmente. Além de não doer nada, o piercing não atrapalha nem um pouco na hora de ouvir música.

4 - É verdade que rejeita fácil?
Eu li muito na internet que o surface tragus é um piercing que inflama e é rejeitado facilmente, mas para mim tudo foi normal. Eu não tenho alergia a bijuterias vagabundas, mas SEMPRE recomendo colocar uma joia que seja no mínimo de aço cirúrgico inoxidável quando você faz um piercing novo. Sério, não vai colocando o brinco mais vagabundo que você tiver. É seu corpo, e mesmo que o brinco custe 30 reais, acho melhor gastar esse dinheiro todo do que ter uma cicatriz zuada, alergia ou ter uma queloide feia na orelha. Se você estiver percebendo que seu piercing está ficando inchado ou dolorido, RETIRE A JOIA E LIMPE CORRETAMENTE. Se necessário, vá até o posto de saúde.

5 - Quais os cuidados?
Como eu disse ali em cima, é importante que nas primeiras semanas você limpe os furos pelo menos umas três vezes por dia com água oxigenada e algodão. Tome cuidado na hora de dormir e quando for pentear o cabelo, pois o piercing pode ficar enroscado em alguma coisa. Tente não tirar o piercing nos primeiros dias, a não ser que seja extremamente necessário.


Este vídeo não é meu, mas eu assisti ele antes de furar as orelhas e achei bem legal. Caso você esteja curioso par saber como será o processo, aqui está =D

Por fim, nuca esqueça de que, se for seu primeiro piercing, é bom levar alguém com você. Você pode passar mal por causa da dor ou por ver sangue, etc. É sempre bom ter alguém do seu lado. Se estiver com medo ou não quiser mais por o piercing, é seu direito simplesmente desistir, mesmo que o body piercer já esteja pronto para fazer os furos. Sempre pergunte o que estarão usando em você e procure um estúdio com boa procedência.

Boa sorte com seus piercings, galera, até a próxima!

Sejam fortes e continuem gays!

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Resumo do livro Jonathan Strange & Mr. Norrell

Resultado de imagem para jonathan strange & mr norrell

Olá, gente bonita e cheirosa!

Hoje venho aqui com o resumo do livro Jonathan Strange & Mr. Norrell. Eu terminei de ler este livro lindo e gigantesco (mais de 800 páginas) semana passada e os feelings ainda não se foram. Demorei mais de um ano e meio para ler, pois eu pegava, lia 50 páginas e daí ficava sem encostar no livro por outros três meses. Mas no começo de maio eu fiz uma maratona onde eu tinha que ler 60 páginas por dia do livro e consegui terminar tudo em pouco mais de uma semana. 

E VALEU A PENA!!

Este livro é incrível. Sério... Nem sei quando vou escrever uma resenha, pois é incrível demais. Epa, espera Nath... Essa postagem não é uma resenha? NÃO! Esta postagem é um resumo extremamente detalhado do livro. Sim, enquanto eu lia o livro eu ia tomando notas de acontecimentos mínimos que aconteciam. Não sei se alguém realmente vai precisar desse tipo de material, mas pode ser que sim, não é? Acho até que teria mais uso em inglês do que em português, mas vou esperar a assistência de alguém que leu o livro em inglês para ter mais coerência. Não adianta nada eu traduzir esse resumo e não traduzir os termos corretamente, né?

É isso. Esta postagem contém spoilers. Literalmente, tudo o que essa postagem possui são spoiler. Então, se você ainda não leu o livro e não quer ser bombardeado com spoilers de literalmente todos os capítulos, NÃO LEIA A PARTIR DESTE PONTO.

Obrigado =D

Jonathan Strange & Mr. Norrell 

Autora: Susanna Clarke
Editora: Companhia de Letras / Nova edição: Editora Seguinte
É bom?: ★★★★★
Páginas: 824
Sinopse: A prática da magia foi considerada extinta da Inglaterra desde os tempos medievais do Rei Corvo. Em 1806, aqueles que se intitulam magos são apenas estudiosos da história da magia. Mas, um dia, dois desses magos teóricos resolvem investigar os motivos do desaparecimento da magia. E assim conhecem Mr. Norrell, um mago recluso que desafia a todos ao mostrar seus poderes. Para provar que a magia ainda existe, Mr. Norrell reúne os magos teóricos na catedral de York e faz com que as estátuas de pedra comecem a falar. Em troca de seu ato, exige a imediata dissolução da Sociedade de Magos. Agora com fama e poder, ele abandona a reclusão e vai para Londres, onde colabora com o governo no combate a Napoleão Bonaparte. Começa então a colocar em prática seu plano secreto de controlar a magia na Inglaterra. Tudo vai bem, até o momento em que seu discípulo, o arrogante e impetuoso Jonathan Strange, resolve se rebelar contra a visão restrita de Norrell sobre o lugar destinado à magia. Strange decide seguir seu próprio rumo como mago e resgatar os poderes do lendário Rei Corvo, mas acaba colocando em risco a si próprio, aos que o cercam e à toda a Inglaterra. 

 
Primeiramente, eu li a edição linda e maravilhosa da Companhia das Letras. A edição não tem nenhum erro (pelo menos eu não encontrei nenhum) e tem ilustrações encontradas no livro original em inglês. Não faço ideia de qual é o estado da edição da Seguinte, mas espero poder comprar em breve a título de colecionar - e, quem sabe, reler?.

Achei a linguagem bem fácil. A escrita da autora mais parece um labirinto, e você tem que ler as palavras certas no tempo certo para conseguir chegar ao final do texto. Não é algo complicado, mas é muito bem intrincado. Para você entender o que acontece é vital que preste muita atenção no texto. A história muda de lugar e tempo muito rápido, e se você não prestar atenção nas datas e, mais importante, se você não ler as rodas de rodapé, vai ficar perdido facilmente.

Mr. Segundos e Mr. Honeyfoot são magos, e Mr. Segundos é jovem e não entende por que não se pratica mais magia na Inglaterra. Honeyfoot concorda com ele, diferente de outros magos mais velhos, que acham que a magia está morta e devia permanecer desta forma, mas também não entende por onde começar a resolver o problema. Os dois tomam conhecimento de um mago solitário, Mr. Norrell, e decidem fazer uma visita a ele. Ele é um velho meio sarcástico e solitário, com uma coleção impressionante de livros e manuscritos sobre e de magia, que encantam os visitantes. Os livros DE MAGIA são aqueles que tratam de magia e encantamentos diretamente, como se fossem livros práticos. Os livros SOBRE MAGIA são livros que falam sobre a magia, como se fossem livros de história.

Mr. Segundus e Mr. Honeyfoot contam aos colegas da Sociedade Culta dos Magos de York sobre o encontro com Mr. Norrell e sobre o fato de que ele afirma ser praticante de magia. Os magos são acreditam nisso e escrevem uma carta pedindo que Mr. Norrell faça uma demonstração de magia. Quando ele concorda, os magos ficam aterrorizados com a possibilidade de Mr. Norrell de fato ser praticante de magia - achavam que era apenas um blefe. Além disso, Mr. Norrel fez com que eles jurassem desfazer a sociedade dos magos de York se fosse provado que ele é praticante de magia. Agora todos estão na catedral de York, esperando o show começar, alguns morrendo de medo, outros empolgados.

 

Os cavaleiros da sociedade de York se depararam então com estátuas falantes que confessavam a vida das pessoas que passaram na igreja por conta da magia de Mr. Norrell. Agora a sociedade dos magos de York foi desfeita. Mr. Norrell decide se mudar para Londres com o objetivo de disseminar a magia por lá quando conhece Mr. Littlewoth, Mr. Drawlight e Mr. Lascelles. Drawlight é um cavalheiro rico e não muito culto, mas com grandes contatos (dentre eles o Lascelles e Littleworth, com quem Mr. Norrell discute mitos de magia como o Rei Corvo e Merlin).

Nota de rodapé: Tubbs vs StarHouse, cuja historia se resume em um homem rico que queria ver uma criatura mágica e que se convenceu que seu empregado era uma, devido ao seu dom de adestrar gatos. Incomodado o empregado moveu una ação judicial contra o patrão. Depois disso ninguém mais levava Mr. Tubbs a serio e ninguém queria dar um emprego a Starhouse. Depois contaram a história de Mr. Bloodworth, que contratou um empregado magico que desapareceu com quase toda a sua família e seus criados através de um armário encantado.

Mr. Drawlight começou a inventar historias de magia sobre Mr. Norrell, o que o deixou muito famoso. Isso incomoda Mr. Norrell, achando que as pessoas não estão realmente interessadas em magia. É aí que ele cria um plano para derrotar os franceses com magia, uma vez que os ministros ingleses estavam com baixa popularidade na Era das Guerras Napoleônicas. Walter Pole é o ministro do Ministério da Súplica (???), um homem de rosto atípico e com dividas que datam gerações anteriores de sua família. Mr. Norrell lhe oferece suas habilidades em magia como aliadas na guerra, mas ele não aceita.Tudo muda quando Miss Wintertowne, noiva de Walter Pole, morre. Mr. Norrell decide trazer a moça de volta à vida, esperando assim receber seu devido reconhecimento. A Miss Wintertowne era conhecidíssima e muitos estão deprimidos com sua morte, mas eis que Mr. Norrell surge, colocando sua carreira em risco, para trazer a jovem de volta a vida. 

"Não existe nada no mundo tão fácil de explicar quanto o fracasso. É, afinal de contas, o que todo mundo alcança o tempo inteiro".

Mr. Norrell trás Miss Wintertowne de volta à vida após negociar um uma criatura magica. Esse dialogo é importante, pois revela que tudo o que Mr. Norrell aprendeu sobre magia foi nos livros e sozinho. Mr. Norrell finalmente é contratado pelo governo britânico, mas eles não sabem que serviço dar a ele e começam a supor toda uma sorte de encantamentos que talvez o ajudassem na guerra. Mr. Norrell de fato realiza um encantamento capaz de criar navios de chuva e fazer a sereia de um dos navios falar sobre as coisas que viu durante seus anos de navegação. Mr. Norrell atingiu o reconhecimento e agora recebe visitas de ilustres figuras, até ser convidado para escrever sobre magia para uma revista, mas ele contrata outra pessoa para fazer isso por ele, um teórico da magia chamado Portishead.

Depois de um capitulo eloqüente com um debate sobre o Rei Corvo entre Mr. Norrell e Vinculus, temos um capítulo explicando as origens de Jonathan Strange (finalmente!), filho de um inglês chamado Laurence Strange, que se casou com uma mulher rica para poder usar seu dinheiro para sanar suas dividas. Ele nunca foi atencioso com o filho e era especialmente cruel com os criados, mas o feitiço se volta contra o feiticeiro quando ele é levado à morte por causa de uma de suas maldades características contra um novo criado. Mister Jonathan Strange herdou agora o império do pai.


Lady Pole (antiga Miss Wintertowne) goza de extraordinária saúde (extraordinária até demais), e todos querem saber a seu respeito. Depois de se casar com Mister Walter Pole ela ficou a cargo de vários criados londrinos e não londrinos, mas em especial um criado chamado Stephen Black, que é negro (eita piadinha feia) e manda em todos. Mr. Norrell conta em um jantar com Lady Pole, Walter Pole e Mister Lascelles sobre dois irmãos, o padre e sua irmã Malpas, que procuram pela Inglaterra impostores no campo da magia. Os criados subordinados a Stephen Black reportam coisas estranhas acontecendo, desde sons até visões misteriosas. Black não crê em nada disso, mesmo quando um dos empregados diz ter visto "um homem pálido, de cabelos brancos de algodão e uma roupa verde" (a criatura que Mr. Norrell invoca para trazer Lady Pole de volta à vida). Um dia Stephen percebe o surgimento de um cômodo novo na casa, chamado de Esperança Perdida, onde o mesmo homem de cabelos de algodão e roupa verde aparece. Stephen Black trata o homem como um convidado e o homem fica maravilhado com as habilidades de Mister Black, e não entende como um homem desse porte possa ser apenas um criado. O homem convida Black para uma festa, que do nada surge no cômodo Esperança Perdida. Nessa festa há todo tipo de criados, com roupas de cores misteriosas. Lady Pole está lá, e dança com o homem do cabelo de algodão a noite toda. No dia seguinte a Mrs. Brandy, viúva de um homem extremamente sovina, encontra uma quantia alarmante de dinheiro no caixa de sua padaria. Ela convida Mr. Black (por quem é apaixonada) para tentar resolver este mistério, e após conversarem um pouco ele revela à senhora que parece ter dançado a noite toda, pois sente dor, a pesar de não ter dançado (o que mostra que ele não se lembra do baile misterioso). Ele também diz que (ih) Lady Pole não se sente nada bem.

Lady Pole está mal novamente, e o homem do cabelo de algodão aparece para Mr. Norrell (depois dele ter sido chamado por Walter Pole para trazer a saúde de volta à amada). O homem do cabelo de algodão ludibriou Mr. Norrell, e a mulher terá pouco tempo de vida. Mas o que realmente importa para Mr. Norrell é sua influência em Londres, então os dois negociam. Enquanto isso Stephen Black sofre dos mesmos males de Lady Pole e vai até o clube Peep-O'Day-Boys, um clube exclusivo para a criadagem da alta sociedade, onde encontra com o homem do cabelo de algodão, que afirma que Esperança Perdida não era apenas um sonho. Ela tenta dissuadir Mr. Black a ir contra seu patrão Mr. Walter Pole, afirmando que ele não nasceu para ser criado e que Walter Pole é seu inimigo. Meanwhile Mr. Norrell tenta explicar ao ministro do Interior, Lorde Hawkesbury, que só poderia praticar magias maiores se houvesse vários magos para ajudá-lo, mas obviamente o único mago praticante da Inglaterra é o próprio Mr. Norrell. Hawkesbury sugere que ele abra uma escola de magia. Mr. Norrell fica horrorizado, pois não há nada que ele queira menos. Mas o ministro do Interior está muito entusiasmado com o projeto. Mr. Norrell afirma que a criação desta escola demoraria muito, e enquanto isso ele se dedica a acabar com os magos vagabundos existentes, dizendo que os magos deviam se regulamentar ter uma licença para usar magia. Com isso todos os magos impostores de Londres vão embora, com exceção de Vinculus, que permanece clandestinamente. Num dia especialmente sem movimento um homem misterioso vem ate ele propondo que resolva um de seus problemas com magia: ele detesta ter que trabalhar arduamente numa chapelaria e quer que uma princesa rica se apaixone e se case com ele. Na verdade este homem é Childermass, empregado de Mr. Norrell.


Vinculus logo percebe que o homem quer lhe pregar uma peça. Childermass estava lá com ordens de Mr. Norrell para amaldiçoar o charlatão, mas decide conversar com Vinculus. Eles falam sobre um livro com a profecia do Rei Corvo (dos dois magos que trarão a magia de volta à Inglaterra) e Childermass lê o futuro de Vinculus pelas cartas. Vinculus também tenta ler o futuro de Childermass, a pesar de não possuir conhecimento algum do assunto. O próprio Childermass reconhece que ele tem talento para a magia, a pesar de não saber nada, e isso o intriga muito. Quando Childermass conta a Mr. Norrell, Mr. Lascelles e Mr. Drawlight o acontecido todos ficam enfurecidos e acham que não passa de bobagem.

Longe dali Jonathan Strange pretende se casar com Arabella Woodhope. O pai de Jonathan Strange morreu ha pouco e ele acaba de herdar toda sua fortuna, e decide esperar três dias depois do enterro do pai para viajar até Arabella e pedi-la em casamento. No trajeto até Arabella ele se depara com um mago dormindo numa cerva viva: este é Vinculus, que diz que Jonathan Strange é um dos dois magos que trara a magia de volta à Europa, mas a um custo terrível. Ele compra as magias que Childermass ia aplicar a ele, sendo uma delas a magia de "Descobrir o que seu inimigo esta fazendo". Strange vai até Arabella, que está com a amiga Mrs. Redmond e com o irmão Henry Woodhope. Strange conta a eles que, agora que seu pai morreu, aspira ser mago. Ele tenta fazer o feitiço de "Descobrir o que o inimigo está fazendo" e vê Mr. Norrell no espelho, lendo em seu escritório. Este é o fim da primeira parte do livro.

Mr. Segundus (o pobre) e Mr. Honeyfoot (o velho) estão indo á cavalo para a Casa da Sombra, a antiga mansão construída por um dos magos mais ricos da história da Inglaterra, Mr. Absalom. Mr. Segundus acaba dormindo nos jardins das ruínas da Casa da Sombra e tem um sonho estranho, com uma mulher de vestido azul e cabelos vermelhos e um homem com roupas modernas. Após acordar Mr. Honeyfoot e Mr. Segundus partem para explorar o castelo quando encontram Jonathan Strange, que é o próprio homem das roupas modernas do sonho. Ele parece ofendido por terem invadido se sonho com Maria Absalom, que ele tinha planejadado muito, mas depois os quatro (incluindo Henry Woodhope) conversam, se tornam amigos e partem juntos para um jantar. Ambos começam a recomendar livros de magia para Jonathan Strange (que pratica magia há apenas um ano e meio e já é tão poderoso) e lhe explicam que Mr. Norrell desmanchou a Sociedade dos Magos de York, e Strange diz que ele também não consegue comprar livros de magia pois Mr. Norrell comprou todos os disponíveis. Mr. Honeyfoot, a pesar da reserva de Mr. Segundus, diz que Strange devia se candidatar para ser aprendiz de Norrell.

 

Strange e Norrell se conhecem, e Norrell parece não gostar nada do mago. Os dois conversam um pouco, trocam experiências e Mr. Norrell decide presentear Jonathan Strange com um livro, "Magia Inglesa", de Jeremy Tott, que Norrell acredita ser pouco útil. Quando Norrell pede que Strange realize uma mágia, Strange troca o livro de lugar com sua cópia no espelho, o que aviva a curiosidade de Norrell em relação a Strange e o faz oferecer-se para ser seu mestre. Jonathan Strange aceita. Norrell começa a dar aulas para Strange, discutindo livros e teorias mágicas. Norrell parece encantado com as habilidades de Strange, e o convida para ir trabalhar ao seu lado no ministério da Marinha e da Guerra, onde suas ideias são muito celebradas (como enviar pesadelos terríveis para Napoleão e para Alexandre). Por outro lado, Strange não parece tao feliz assim com Norrell, pois o acha entediante e desconfia que o homem quer esconder algo dele, pois vive constantemente se contradizendo em suas lições de magia.

Enquanto isso, Stephen Black colhe a cada dia novas riquezas, presentes do homem do cabelo de algodão. Andar na rua é simplesmente um tormento, pois ele encontra dinheiro, recebe presentes e recompensas. O homem de cabelo de algodão o presenteia com um Orbe, uma Coroa e um Cetro, como se ele fosse um grandioso rei africano. 

Mr. Strange e sua mulher Arabella vão ver o Mr. Walter Pole, e Arabella acaba conhecendo Lady Pole, revelando que ter sido trazida de volta à vida foi a pior coisa que lhe aconteceu e que preferia estar morta. Ela pede a Arabella que diga ao seu marido que detesta Mr. Norrell, mas depois Walter Pole faz com que ela prometa não dizer nada de sua conversa com Lady Pole, o que a confunde muito.

 

Strange e Mr. Norrell fazem cada vez mais sucesso, e há filas e filas de cavalheiros querendo conhecê-los. Enquanto isso. A guerra com a França apenas aumenta e Napoleão busca um mago para ajudá-lo no combate, uma vês que JS e Mr. N tem feito milhares de magias para acabar com os planos do exercito francês. Jonathan Strange é convocado para desencalhar um barco e ele cria cavalos de areia mágicos capazes de salvar o navio. É decidido que os magos deveriam ir para a frente de batalha na guerra para ajudar os generais. Nesse paragrafo a autora discorre sobre como Mr. Norrell ficou ligado a Mr. Strange e que só falava dele ou com ele. Strange quer ir para a guerra e ajudar o país, e também criar a tal escola de magia, mas Norrell é absolutamente contra. Norrell está interessado em comprar a biblioteca do Duque de Roxbughe. Com medo de que Strange compre os livros a leilão, Norrell arranja para que Strange viaje para Portugal, na guerra. Levando 40 livros de Norrell a contragosto, Strange vai para Portugal, onde conhece Mr. Wellington, que despreza o trabalho de Mago de Strange. Logo, Strange conhece o capelão Mr. Briscall, que lhe sugere que passe um tempo com os soldados ingleses para aumentar sua popularidade. Mr. Strange logo faz algumas amizades. Numa noite, Mr. Wellington finalmente o convida para uma sobremesa e uma conversa, onde lhe diz que gostaria de ser um praticante de magia.

JS faz uma estrada para o exercito inglês lutar contra o francês e finalmente Strange obtem aprovação de Wellington. Na Inglaterra, Childermass procura por Vinculus e pelo livro que ele dizia possuir. Descobriu que o livro poderia ter sido escrito pelo próprio Rei Corvo. Mr. Norrell fica ultrajado com a informação. O homem do cabelo de algodão revela que Stephen Black tem como destino ser o Rei da Inglaterra, o que Black acha absurdo. Strange continua em Portugal na guerra com os franceses. Logo, usando de magia negra para trazer soldados de volta à vida em busca de informações e até mesmo trocar cidades inteiras de lugar. Strange e o exército britânico/português vencem a guerra contra a França, após três anos em país estrangeiro. Strange volta para a Inglaterra e descobre que Arabella tornou-se amiga do homem de cabelo de algodão, que vive na casa de Sir Walter e Lady Pole. Strange volta a se encontrar com Mr. Norrell, que ainda o quer como aprendiz e tem muitas coisas a lhe contar.


O rei da Inglaterra está ficando louco e seus filhos chamam Jonathan Strange para usar de magia e curar o monarca. Strange vai até o castelo e, após lançar feitiços para parar os médicos que tomam conta do rei, ele acaba percebendo que há magia estranha acontecendo no castelo, principalmente depois que o rei diz ter visto um homem de cabelos prateados e ter mencionado a Esperança Perdida. Strange e o Rei caem em uma ilusão causada pelo homem de cabelos prateados, e após muitas coisas estranhas Strange se livra da visão e, mesmo sem curar o rei, o salva de um destino terrível nas mãos do homem de cabelo prateado. Mais tarde, Strange e Norrell discutem sobre os seres mágicos que não mais povoam a Inglaterra. Enquanto isso, o homem de cabelo de algodão leva Stephen para um país árabe e o instiga mais a ser o novo rei da Inglaterra. O homem de cabelo de algodão revela que de fato foi até o rei e declara seu ódio absoluto aos magos. Mais tarde, Jonathan Strange descobre que várias pessoas tem recebido instruções de magia em seu nome por correspondência, mas Strange não dá aulas e achou tudo muito estranho. Quando confrontado por um de seus "alunos", um amigo de Strange o desafia a entrar num espelho como prova de sua magia.

Mr. Strange viaja através do espelho por sugestão de Sir Walter e acaba parando na casa de Ms. Bullworth, onde é revelado que toda a historia das aulas através de cartas era ideia de Mr. Drawlight. No entanto, essa viajem pelo espelho permitiu Strange conhecer as estradas dentro dos espelhos que eram do Rei Corvo, e ele mal vê a hora de poder explorá-las novamente. Mr. Drawlight vai visitar Mr. Lascelles e lhe conta sobre o que Ms. Bullworth iria fazer com a ajuda de Mr. Strange e magia negra.




Mr. Norrell está convencido de que deve ressuscitar Les Cinques Dragownes, um tribunal que julgava crimes contra a magia na época do Rei Corvo. Norrell acha que Drawlight passou dos limites ao oferecer magia negra a civis comuns, mas Strange e Childermass temem o que possa significar trazer tal coisa à tona. De nada resultam as suplicas de Norrell, mas é então que Strange decide escrever um artigo invalidando as ideias que excluem John Uskglass como o pai da magia inglesa, do mais novo livro de Mr. Portishead, "Ensaio sobre o extraordinário renascimento da magia inglesa". Mr. Norrell e Strange brigam após a publicação da resenha e Strange decide que não quer mais ser aprendiz e nem nada de Norrell. Desesperado, Norrell mostra uma atitude humilde e desesperada, prometendo tratar Strange como um igual e até jura que lhe dará a chave de sua biblioteca. Strange, no entanto, não muda de ideia e os magos se separam. Strange decide tirar umas férias com Arabella fora de Londres, e Arabella então vai se despedir da amiga Lady Pole. Lady Pole parece cada vez menos feliz e mais sombria, e fica chorosa à simples menção de uma dança. Ms. Strange menciona para o marido que o homem do cabelo de algodão lhe disse que está feliz que Jonathan se separou de Norrell e que devia estudar os seres mágicos. Jonathan Strange tenta descobrir o nome do homem, mas não consegue. Após suas breves férias, Strange vai para a Bélgica, que acredita que logo será atacada pelos exércitos de Bonaparte.

Jonathan Strange faz varias magias para ajudar o exercito inglês/belga a vencer os franceses, mas desta vez muito mais pessoas vem à óbito. Strange se sente estranho ao constatar como a vida é frágil. Enquanto isso, Mr. Segundus vai visitar uma biblioteca quando conhece Mrs. Lennox e Mrs. Blake, e Mrs. Lennox ficou muito interessada em abrir uma escola de magia em Londres para jovens e adultos com parceria de Mr. Segundus. Quando as coisas estavam praticamente encaminhadas, Mr. Norrell expressa seu desgosto e faz de tudo para acabar com a ideia. Mr. Segundus procura o auxilio de Strange, mas ele não lhe responde nenhuma carta.

"There is a great deal of magic in books nowadays."

"Now there were ten bells. And the bell for Lost-hope was ringing violently."

"He gave her his heart. She took it and placed it quietly in the pocket of her gown."

"If I am a magician, I am a very indifferent one."

"Is it your opinion, Mr Norrell, that fairies have left England completely?"

Mr. Norrell recebe a noticia de que Strange está escrevendo um livro intitulado História e prática da magia inglesa. Norrell não fica feliz com isso e se lembra de seu próprio livro, Preceitos para a instrução de um mago, que nunca chegou a concluir. Enquanto isso, o homem do cabelo de algodão menciona para Stephen Black que está interessado em adquirir outra dama para Esperança Perdida, pois Lady Pole não o satisfaz mais. O homem de cabelo de algodão leva Black para uma floresta na Escócia e juntos eles extraem um pedaço de turfa do chão. Jonathan Strange está em sua casa de campo quando recebe a visitar de Mr. Hyde, que jura ter visto Arabella Strange na neve de vestido preto. Jonathan acha um absurdo e diz que o homem devia estar tendo alucinações, mas Mr. Hyde torna dias depois com a mesma historia e todos descobrem que Arabella está desaparecida. Todos que moram perto dali vão atrás de Arabella, e quando a encontram ela está de fato de preto e falando coisas sem sentido. Três dias depois, ela morre.

Assim começa a terceira parte do livro, denominada John Uskglass. O primeiro capitulo é um artigo de Jonathan Strange sobre a ascensão do Rei Corvo como mago e como é inútil e incorreto apagá-lo da historia da magia inglesa. Logo em seguida vemos que Childermass está em casa quando é vitima de uma visão, na qual o céu fala com ele. Logo que Mr. Norrell volta Lady Pole aparece e tenta matá-lo com uma pistola, mas Childermass salva a vida do patrão. É então que ele começa a questionar o caráter de Mr Norrell.


Stephen Black deixa Lady Pole na casa de repouso (manicômio) de Mr. Segundus, que abandonou a ideia da escola para magos. Depois de um acidente, Stephen é obrigado a sacrificar sua égua. Ele pega carona com um homem que está com Vinculus na carroça. Vinculus conversa com Stephen e lhe conta sobre Childermass o estar perseguindo e lhe dá uma nova profecia. Quando conta sobre a profecia ao homem de cabelo de algodão, ele se apressa em dizer que a profecia não se diz respeito a Stephen, mas ao Rei Corvo. Strange está diferente após a morte de Arabella. Ele está mais soturno e misterioso, e logo é revelado que trabalha com Childermass nas gravuras de seu livro sobre magia que tem incomodado Mr. Norrell. Strange oferece um lugar de aprendiz para Childermass, mas ele não quer abandonar Mr. Norrell. Logo, Strange publica seu livro (o primeiro de três volumes) e ele começa uma escola para magos tendo três alunos: Henry Purfois, Tom Levy e Willi Hadley-Bright (que esteve na guerra de Waterloo). Strange decide viajar pela Europa uma vez que a guerra acabou, mas logo que ele está distante Mr. Norrell tenta sabotar seu livro e faz encantamentos para que os exemplares desapareçam ou fiquem com as páginas em branco. Childermass tenta pagar o livreiro e editor Mr. Murray, mas Murray está furioso com isso e jura que fará Norrell pagar pela propaganda das novas edições do livro de Strange.

Walter Pole e Mr. Strange trocam cartas sobre o que aconteceu com os livros de Strange. Strange está em Veneza e conversa com Miss Greysteel, Dr. Greysteel e tia Greysteel sobre criados mágicos e sobre como ele está desesperado atrás de conseguir invocar um. Strange se tranca em seu quarto e tenta invocar um espírito usando seu sangue como oferenda. O homem de cabelo de algodão e Stephen Black são invocados, mas aparecem invisíveis, de modo que Strange não sabe que obteve sucesso. O homem de cabelo de algodão despreza Strange e sua magia. Enquanto isso, Dr. Greysteel vai visitar uma senhora cujo nome não conhece, mas que está curioso quanto à sua descendência. Logo descobre que ela é a Mrs. Delgado, muito velha e vive cercada de gatos silenciosos. Quando jovem falava muitos idiomas e era considerada um prodígio, mas depois da morte do marido foi se esquecendo de todas as línguas, menos a língua dos gatos. 

 

Dr. Greysteel e seu acompanhante, Signor Tosetti, logo vão embora. Jonathan decide ver a velha senhora louca e decide roubar um pouco de sua loucura ao levar um camundongo morto. Em casa, Jonathan faz uma poção para induzir-lhe à loucura, pois pensa que os seres mágicos costumavam se apetecer pelos loucos e é possível que também gostem dele. Ele fica doido de pedra e logo consegue invocar o homem de cabelo de algodão, que fica perplexo. Após uma breve conversa, Strange liberta o homem de cabelo de algodão, extremamente contente por ter invocado uma criatura. O homem de cabelo de algodão não fica nada contente, e logo vai até Stephen Black reclamar de Strange. Depois de um tempo, o homem de cabelo de algodão decide ludibriar Strange e lhe promete qualquer tipo de bem que ele possa querer, em uma armadilha. Strange lhe pede algo que o último mago com quem o homem de cabelo de algodão trabalhou lhe deu, e depois de um tempo ele envia o dedo de Lady Pole para Strange. Strange se lembra da história de Stokeskey e Col Tom Blue e decide descobrir onde é o brugh (casa ou caverna mágica) do homem de cabelo de algodão. Ele entra no Reino Encantado (o primeiro mago em seculos!) e dá de cara com Stephen Black. 

Jonathan Strange está em Esperança Perdida. Lá ele conversa com uma fada e logo dá de cara com Arabella. Jonathan fica muito assustado e não entende como é possível que sua falecida esposa esteja ali, na sua frente. Mas é então que o homem de cabelo de algodão aparece e usa uma estranha magia para mandar Jonathan de volta ao mundo normal. Essa magia esgota o homem de cabelo de algodão, que desmaia ao lado de Stephen Black. Jonathan se apressa em ir até a casa dos Greysteel em Veneza para dizer que Miss Flora Greysteel corre perigo. Dr. Greysteel percebe que Strange parece doente e até mesmo um pouco louco. Strange vai embora após dizer que está amaldiçoado e por isso não pode entrar na casa dos Greysteel. No dia seguinte, uma torre negra apareceu em Veneza e o dia não amanheceu no bairro onde Strange esta hospedado. Strange passa dias tentando quebrar a barreira que o homem de cabelo de algodão colocou na Esperança Perdida para que ele possa ver Arabella, mas não consegue quebrar a barreira de jeito nenhum. É então que ele manda uma carta para Henry Woodhope, irmão de Arabella, e pede para que ele viaje até Veneza para ajudá-lo. Lorde Byron incomoda Strange enquanto isso, e Stephen Black e o homem de cabelo de algodão assistem a tudo, invisíveis. Henry Woodhope leva as cartas para Mr. Norrell, pedindo auxilio do mago. Mr. Norrell fica calmo diante do que acontece a Lascelles decide invocar alguém para tentar ajudar a tirar Strange de seu estado de loucura. Henry conta que seus empregados exumaram o corpo de Arabella (contra a sua vontade) e descobriram que havia na verdade um toco de madeira dentro do caixão. Henry deixa as cartas enviadas por Strange com Norrell, que as pública e altera algumas coisas a seu bel prazer. Alguns cavalheiros tentam convencer O Duque de Wellington de que Jonathan Strange está louco, mas Wellington fica cético.


Drawlight é o escolhido para ir até Veneza espalhar mentiras sobre Strange. Depois de uma conversa nada promissora com Dr. Greysteel, Drawlight tenta falar com Frank, criado de Dr. Greysteel. Drawlight mente para Frank, mas Frank percebe o que acontece e joga Drawlight num dos canais de Veneza. A água leva Drawlight para a porta de Strange, que o confunde com uma criatura, e começa a lhe dar ordens e tratá-lo como seu criado. Enquanto isso, Flora Greysteel está apaixonada por Strange e faz de tudo para tentar ajudá-lo, mas ela parece estar sendo vitima da magia do homem de cabelo de algodão também. Na Inglaterra, Norrell teme que Strange esteja dando vida a uma magia há muito tempo morta. Eles discutem até que ponto Strange pode ser detido e se Norrell é capaz de fazê-lo. Lascelles tenta convencer Norrell a tomar medidas drásticas para com Childermass, pois acha que ele simpatiza com Strange, mas então Drawlight volta e Lascelles volta sua atenção para ele.

Lascelles encontra Drawlight e após uma conversa terrível, Lascelles toma as mensagens que Strange ia enviar para os magos da Inglaterra e mata Drawlight, que se transforma em relva. Norrell aguarda o retorno de Lascelles com notícias de Drawlight. Lascelles mente dizendo que Drawlight não pode ir e lhe enviou uma carta, e faz com que Norrell e seus criados, incluindo Childermass, vão até a casa em que Norrell morava antes dos acontecimentos do livro (a que tem a biblioteca inlocalizavel). Depois de uma briga física e verbal com Childermass, Lascelles exige que Mr. Norrell o demita ou expulse o próprio Lascelles de casa. Mr. Norrell demite Childermass. 


Todos os relógios dão meia noite quando Norrell é isolado. Lascelles e os demais criados de Norrell tentam fugir da propriedade, mas Lascelles dá de cara com uma aparição misteriosa. Enquanto isso, Childermass foi até a pousada (manicômio) de Mr. Segundus, onde há duas versões de Lady Pole tentando contar una história. Depois de Segundus (!!!) desfazer um feitiço de silenciamento, Lady Pole finalmente conta o que se sucedeu a ela e a Stephen Black em Esperança Perdida e exclama seu ódio por Norrell e Strange. Childermass defende Strange e está em busca de salvar os dois grandes magos da Inglaterra. Enquanto isso, o homem de cabelo de algodão sente que algo o ameaça. Ele conta a Stephen Black que descobriu qual era o nome que sua mãe lhe dera antes de morrer (já que Stephen Black é um nome dado por Walter Pole). O homem de cabelo de algodão discorre sobre a historia da mãe de Stephen Black, mas então ele pede que os espíritos o levem para seu maior inimigo. Eles se deparam com Vinculus, e o homem de cabelo de algodão o mata. Ele ainda não diz qual é o nome original de Stephen Black. 

Enquanto isso, Strange leva Norrell até ele. Norrell acha que Strange o odeia, mas logo percebe que nada disso é verdade. Após uma breve conversa, os dois tentam invocar John Uskglass para salvar Arabella e Lady Pole, mas tudo que conseguem e transformar sua biblioteca em corvos. Eles fazem então um feitiço de localização e descobrem que o Rei Corvo está no condado de York.

Childermass encontra Vinculus morto na neve e percebe que o livro perdido do Rei Corvo está escrito em sua pele. Childermass tenta desesperadamente arranjar uma forma de copiar os escritos, mas então um homem misterioso surge e devolve a vida a Vinculus. O homem desaparece. Vinculus conta sua história para Childermass e revela que Jonathan Strange e Mr. Norrell não passam de uma magia criada pelo Rei Corvo, e que logo Stephen Black se tornará rei da Inglaterra. Stephen é o escravo sem nome e por um tempo a natureza acredita que ele é o Rei Corvo e o obedece, e então Stephen Black usa os poderes da natureza para derrotar o homem do cabelo de algodão. Logo que ele o derrota, a ilusão tem fim e ele desaba. Arabella Strange aparece na casa dos Greysteel em Pádua. Em Esperança Perdida/Reino Encantando, o homem que era Stephen Black é recebido pelas criaturas mágicas como seu novo rei. Ele é o sucessor de John Uskglass.




Jonathan Strange e Mr. Norrell finalmente percebem que tudo acabou, verificam que Lady Pole e Arabella Strange estão bem. Um corvo gigante, representando John Uskglass, aparece e os Observa, reconhecendo a existência deles, como Strange queria e Norrell temia. Vários magos tentam ressussitar a Sociedade dos Magos de York, e eles estão claramente divididos em strangitas e norrellitas. Childermass leva Vinculus (que é o livro ambulante do Rei Corvo, embora agora que a primeira profecia se realizou traga palavras novas). Childermass se declara tanto strangita quanto norrellita, o que é contraditório, pois é o mesmo que ser conservador (Mr. Norrell) e liberal (Jonathan Strange) ao mesmo tempo (eu sou strangita, sorry Mr. Norrell, também te adoro). Enquanto isso, Arabella está vivendo como hóspede na residencia dos Greysteel em Pádua. Eles a tratam bem e ela é amiga de Flora. No final, Arabella e Strange se encontram e ele promete voltar para ela assim que descobrir como se livrar da escuridão que o afligiu desde que ficou louco. Ele e Norrell pretendem viajar pelo mundo e pelos mundos, aprendendo coisas novas e magias diferentes. Arabella promete esperar por ele. 

 - FIM - 

Não esqueça de assistir o seriado baseado nesse livro lindo e maravilhoso! Assista o trailer enquanto isso:

quarta-feira, 13 de maio de 2015

La Caixita #39


Oi, pessoas! Como estão nesse wanderfol dia?

Como prometi na última La Caixita, aqui estão os livros que eu ganhei de aniversário. Meu aniversário foi 18 de abril (dia do livro infantil), e eu fiz 18 anos! O que significa que posso beber e ser presa. *sons de alegria*


Minha tia me deu os últimos dois volumes da série House of Night, e GENTE, EU ESTOU MUITO EMOCIONADA. Eu acompanhei essa saga por 6 anos da minha vida e ela chegou ao fim. Admito, não foram os melhores livros de todos os tempos, mas eu realmente era apegada à história, sabe? Dói pensar que nunca mais terei um livro novo dessa série pra ler :c


Foram doze livros de muita aventura, ação, drama, magia e romance. Eu realmente adoro essa série, vai deixar muitas saudades :')


Meu namorado me deu Sonhos com Deuses e Monstros, o último livro da trilogia Feita de Fumaça e Osso. Durante a leitura os feelings foram muito fortes e agora eu me sinto órfã. Eu gostei bastante dos dois primeiros livros e amei o final da história da Karou e do Akiva =D

Deadman Wonderland é um mangá que eu tenho acompanhado faz uns dois anos, e eu gosto bastante da história. É bastante violenta e meio perturbadora, mas tem sim um fundo bem bonito... Sei lá, é difícil explicar um mangá que nem esse haha XD. Esse é o volume 13, o último, e eu chorei muito ao terminar ;-; foi lindo o final.


Eu ganhei de presente de mamai os três primeiros livros da série Bloodlines. Ano passado eu li Academia de Vampiros e me apaixonei loucamente pela escrita da Richelle Mead. Sério, essa mulher é genial. Estou muito ansiosa para começar a ler estes livros *-*


Esses foram os livros que chegaram para mim desta vez! Foram três fins de saga (Redimida, Sonhos com Deuses e Monstros e DW#13) e os três primeiros livros de uma nova saga de vampiros, que recicla vários personagens e o universo de Academia de Vampiros. Foram ótimas aquisições *----*

É isso por hoje, galera! Como está o coração de vocês para os últimos episódios da décima temporada de Sobrenatural? Destiel feelings everywhere :c

quarta-feira, 6 de maio de 2015

A Lenda de Ruff Ghanor - Leonel Caldela

A Lenda de Ruff GhanorAutor: Leonel Caldela
Editora: Nerd Books
É bom?: ★★★★★
Páginas: 320

Sinopse: Nos confins de uma terra governada pelo dragão Zamir, ergue-se um mosteiro. Um garoto selvagem, dotado de poderes misteriosos, é encontrado pelos monges. Seu nome é Ruff Ghanor. Treinado desde cedo pelo rigoroso prior, Ruff se encaminha para derrotar o tirano. Ruff enfrenta as forças de Zamir e precisa liderar seu povo no combate. Contudo, antes de vencer o dragão, ele descobrirá segredos sobre si mesmo e seu mundo.






Eu conheci A Lenda de Ruff Ghanor através do Nerdcast #345: Criação de Mundos, onde tem dois trechos do livro que são lidos no formato de audiobook. Quando terminei de ouvir o Nerdcast, meus olhos estavam brilhando de emoção, por que foi um áudio muito bem feito (ótimas vozes, efeitos sonoros etc.) e eu estava morrendo de vontade de ler o livro. 

Agora que já terminei de ler o livro, tenho vários sentimentos controversos para com ele. Primeiramente, eu gostei muito da história. O universo criado, mesmo sendo baseado em um universo de RPG simples, ficou bem bacana. Eu gostei do desenvolvimento da história, da narrativa do autor, e gostei bastante de vários personagens que ele criou. Mas eu também identifiquei alguns problemas na história que podem ser ou não apenas minha opinião:

O livro tem orelhas, páginas amarelas e ótima diagramação!

Os espaços de tempo: Ruff é encontrado na caverna ainda criança e vai crescendo no mosteiro ao longo do livro. Algumas partes do livro ele tem 10 anos, outras tem 15, e assim ele vai crescendo. A pesar de ter sido necessário haver esses espaços de tempo, em alguns momentos eles ficavam estranhos e o autor esquecia de nos situar. Na verdade, o problema é que o autor focava demais na linha do tempo de Ruff e esquecia de nos situar na linha do tempo de outros personagens, como Korin, por exemplo.

A predestinação de Ruff: Ruff Ghanor é o escolhido pelos deuses para derrotar o dragão Zamir. Okay, descobrimos isso logo nas primeiras páginas. Desde o começo a predestinação dele foi jogada na nossa cara e a gente tinha que ver personagens morrendo pelo crescimento do Ruff, batalhas acontecendo pelo crescimento do Ruff etc. Acho que teria feito mais sentido o Ruff ter se mostrado especial ao longo do tempo, não já saber que era especial e ir buscando provar isso pra ele mesmo.


Como todo om livro fantástico, este tem vários mapas *-*

Coisas convenientes até demais (Deus ex machina): os conhecimentos do prior, o anão que ajuda Ruff, alguns poderes do Ruff, etc. Não quero dar muitos spoilers, mas quem já leu vai entender do que estou falando.

Personagens não muito bem desenvolvidos: Vários personagens do livro tem ótimo desenvolvimento e ótimas backstories, mas outros ficaram apenas como personagens rasas. Às vezes um personagem era bem desenvolvido e não tinha backstory, ou tinha backstory e não era desenvolvido. Nada que não dê para consertar na continuação, mas queria comentar isso.

O romance: Não gostei muito do romance apresentado pelo autor. Parecia artificial demais... Na verdade, parecia fora do lugar. Acho até que teria sido melhor apresentar o romance como platônico, a pesar de eu ter entendido as pretensões do autor ao terminar de ler o livro...


Visite o site do autor õ/

Considerações finais: Gostei muito do livro! Foi uma ótima história, mas não foi perfeita. Acredito que todos os defeitos que eu mencionei podem ser consertados pelo autor nas continuações da história. A Lenda de Ruff Ghanor tem muito potencial e Leonel Caldela é um ótimo narrador, e mesmo eu tendo achado algumas coisas estranhas na história, sua narrativa nunca ficava chata ou desconexa. Pontos positivos que eu encontrei:

As cenas de batalha: O livro teve várias cenas de batalha, e em todas elas eu me sentia praticamente no meio do exército! O jeito como o autor descreve as lutas faz você visualizar tudo perfeitamente, não ficar perdido (como ocorre com outros livros do gênero).

As discussões metafísicas: O livro tem várias indagações pertinentes quanto à vida, o universo e tudo mais. Ruff e o prior, principalmente, discutem muito sobre o destino, bem e mal e sobre os deuses.

Amizade: há vários exemplos de amizades exemplares em A Lenda de Ruff Ghanor, mas a minha predileta é a de Ruff e Korin. Os dois são praticamente irmãos, Korin é um personagem hilário e incrivelmente leal. Os dois lutam lado a lado, viajam lado a lado e se precisar, morreriam lado a lado. Tem coisa melhor?

Ruff é um ótimo protagonista: a pesar de eu não ser fã da predestinação do Ruff, eu gosto dele como personagem. Ele é determinado, tem um grande senso de justiça e quer salvar os fracos e oprimidos. Mas, ao mesmo tempo, ele não é um escoteiro bobão, e tem uma personalidade forte. Ruff para presidente!

É isso por hoje, galera! Vamos dar a chance que a literatura fantástica nacional merece! Aguardo ansiosamente pelas continuações da saga de Ruff Ghanor e seus amigos =D

Como assim, você ainda não leu?!?!