quinta-feira, 23 de junho de 2011

Quer saber?! Tanto faz!!

Whatever

O que achei deste livro? Especial. Não sei dizer por que, mas achei mesmo. Logo no primeiro conto achei que seria algo épico, um herói adolescente que salvou a familia no meio de um furacão - ou terremoto, nem ele sabia - porém descubro que ele é mais um adolescente de mente fértil, que mora em um apartamento num condominio, não tem cachorro, o pai trabalho num prédio de vidro e tem um irmão mais novo.






Tipo todo mundo.
Whatever é descrito como um livro com contos, porém ao meu ver ele é mais um romance. Conta a história de João Pedro - vida comum, nome comum, escola comum, pensamentos comuns.
Mas para ele tudo é inútil, nada tem sentido. Afinal, se você está em mais um dia de aula e não sabe o que quer fazer, tanto faz. Poderia estar escrevendo uma redação sobre suas férias, não é mesmo? Então, tanto faz escrever sobre suas monótonas férias ou dizer o que quer fazer quando crescer. Afinal, assim como no grupo dos AA, você tem que pensar no hoje, no agora. As férias já foram e você só vai trabalhar no futuro, então por que preocupar-se com isso agora?
Aliais, por que preocupar-se com sua vida se ainda há a vida dos outros? Sua vida é mais importante que a deles? No fundo, tanto faz mesmo. 
Trabalhar nas férias é um saco, não é mesmo? Sempre que você está nos primeiro anos escolares você faz a maldita redação sobre suas férias, porém quando você fica mais velho e tem algo realmente legal - legal não, diferente - para escrever, você já não precisa mais falar sobre suas férias. Afinal de contas, não faz diferença, pois isto não te dará um emprego.
"HHM, solteiro, ensino médio completo, doutorado em psicologia, informática, eletro eletrônica, curso de inglês, mandarim e uzbequistanês... desculpe, acho que não posso te dar o emprego, seu curriculo é muito pobre.".
"Mas seu moço, eu escrevi uma redação sobre as minhas férias, quando trabalhei como estagiário numa lojinha de esportes num shopping, com uma gerente doente, um amigo maneta, e que no final ouvi a voz mais encantadora da minha vida".
"Ah meu jovem, tanto faz!".
Escrever uma redação sobre suas férias não te ajuda a ter um emprego. Desculpe ter que te contar isso.
Mas o pior de tudo é quando você é novo em uma cidade. Não era o caso de João Pedro, mas sim da pobre Alice. Coitada, filha de ricos, irmão estranho, deu uma festa pra escola toda mesmo sem conhecer ninguém. Uma garota gente boa, querendo fazer todos sentirem-se confortáveis.
Eis que ocorre o primeiro grito: um garota caiu na piscina.
Porém o segundo foi épico, desesperou todo mundo. O que aconteceu com Alice? Qual é a do irmão estranho dela? Por que a festa praticamente parou e ninguém acha a menina? 
AH, tanto faz!!
Todo mundo tem aqueles dias em que acordou de forma estranha. Você levanta-se e sente-se como uma camera de segurança, olhando tudo ao seu redor com astúcia. Você estava mais animado que o normal para a aula de educação física e decidiu dar um passeio nos ônibus da sua cidade quando sobe num prédio de vidro para admirar a vista. Todo mundo tem dias assim.
Mas o pior é quando o pai do teu amigo é preso, daí sim ferra tudo. A galerinha que já fingia que você não existia - ou talvez você realmente não exista e tudo seja um sonho seu e você está numa máquina de continuação vital -  mas, se você quer saber, nem ligo - agora te despreza e cria boatos sobre você e seu amigo. Ah, no fundo, tanto faz.
Você está no ultimo ano escolar e seu melhor - único, na realidade - amigo se mudou e agora você está sozinho numa escola enorme e um trabalho chatíssimo de de geografia pra fazer com um cara estranho apelidado de Fronha. É, a vida nunca foi tão bizarra. Tanto faz, continua minha vida, continua um tédio.
Sabe aquela sua paixão estranha? Aquela pessoa que você viu - ou ouviu a voz, tanto faz - e fez seu coração disparar, seus pernas tremerem ou você querer soltar um pum - ou peidar, tanto faz, ninguém aqui é criança - volta do nada. Você a segue, a observa ou ignora. Ah, tanto faz.
Prestar vestibular, trabalhar, escolher o que fazer, descobrir mais sobre a vida, a morte, a eutanásia - eita assunto comum hoje em dia! - acidentes vasculares cerebrais, ou tanto faz. Quem se importa? Você não precisa se preocupar com isto agora. Porém, e se precisar? E se você tiver que prestar vestibular, tiver que trabalhar, descobrir como é bom viver, e que deixar que as pessoas façam sua vida por você não é um bom jeito de viver.
Ah, tanto faz, faça o que achar melhor e deixe-me em paz!

Com este livro aprendi que você deve entender a vida. A vida de João Pedro se assemelha a minha de uma forma estupenda! Nunca tinha pensado no assunto, mas agora sei que sou uma representante da Geração Whatever. Tudo o que sempre aconteceu na minha vida parecia comum e corriqueiro, e com este livro aprendi que nada é tão fútil: afinal, pensar no futuro, lembrar do passado e viver o presente é possivel se você souber fazer sua vida, sem deixar que os outros escolham ela para você.
Sua vida não é só mais uma, e tanto faz se você vai ou não mudar depois de ler este livro: eu vou e flore-se o resto!



quarta-feira, 22 de junho de 2011

Curiosidade biológica: Como funciona a reprodução das sereias?


Como todo mundo aqui sabe - ou não, Whatever - aulas de história são as mais tediosas. Tudo bem, talvez seja sua matéria predileta, porém para mim são UM TÉDIO. Minha amiga e eu estávamos assim na aula de história:


E como julgo este estado deplorável, começamos a conversar. Eis que a aula de história teve fim, porém o assunto não. E enquanto nossa professora de física tentava nos explicar como funcionava o movimento pendular - acho que era isso, eu não estava prestando atenção, afinal! =P - começamos a falar dos desenhos favoritos de nossas infâncias. Eis que surge A Pequena sereia, e então minha amiga me relembrou uma imagem muito, muito antiga:





Eu escolheria a sereia. Afinal, eu poderia conversar com ela e ficar presa numa ilha deserta não é tão ruim se você tem alguém com quem conversar. Porém há chances de um homem escolher a sereia-invertida, e não me sinto na obrigação de citar o por que aqui por ser demasiadamente obvio.
Mas, então, minha amiga aspirante a pensadora levantou a seguinte questão: se um homem fizer coisas impuras com uma sereia-invertida, como seriam seus filhos?
Sereias também? Peixes? Humanos? Quimeras?
Ignorando a hipótese da sereia-invertida, que afinal de contas não existe, nós nos perguntamos: mas e as sereias convencionais? Como elas se reproduzem?
Os tritões - os "sereios" - fazem como? Deixam seu esperma na água assim como os peixes? Onde as sereias "capturam" o esperma e engravidam?
Sereias não se reproduzem, então? Se não se reproduzem, estariam então extintas? Ou será que... será que meu desenho predileto da Disney mentiu para mim por 14 anos e sereias... não... existem?

Não quero nem pensar nisso!!

OOOOOOOOOOOOOOOOOOH DEUS POR QUE???






Créditos pra Giih', que me ajudou com a imagem, as idéias - ela é a amiga taah - e por ter deixado eu postar a idéia dela aqui nesta porcaria de no blog.
Beijo do gordo (?)

domingo, 19 de junho de 2011

Gosick \õ/


Adoro animes e mangás, por isso decidi falar de um dos meus favoritos: GOSICK. O mangá começa de uma forma bem tranquila e simples: O jovem estudante de intercâmbio Kazuya Kujo acaba de mudar-se para a pequena e ficticia província de Sauville e está tendo muitos problemas para encaixar-se num país onde as pessoas tem a pele muita clara, cabelos loiros/ruivos e olhos claros.

久城一弥Sendo um país com muitas lendas, tendo até mesmo o Ministério do Ocultismo encarregado a cuidar delas, Sauville acaba excluindo o pobre oriental pelo simples fato de ele ter olhos e cabelos negros.
O Shinigami Negro da Primavera é uma das lendas preferidas dos moradores daquele pequeno país. Dizem que, em toda primavera, um estudante com olhos e cabelos negros chegaria à Academia de Santa Margarida e traria morte à escola.
Eis que, a mando da merendeira do colégio, Kujo parte às compras. No meio do caminho, enquanto tinha seus devaneios amorosos, ele acaba sendo o único espectador de um assassinato. Um homem que vinha de moto bateu contra um muro e sua cabeça partiu-se do corpo, sem nenhuma explicação.
クレヴィール
Detido como suspeito, Kujo tenta desesperadamente alertar o inspetor Grevil de Blois dos reais fatos enquanto o detetive apenas quer acreditar no obvio: os estudantes estavam certos e Kujo é mesmo o Shinigami Negro da Primavera, e acaba de ceifar sua primeira alma.
Porém a professora Cecile não acredita que aquele belo oriental seria um assassino, e pede para que Grevil não seja tão duro com o garoto e faça uma investigação mais detalhada.
À mando de Cecile, Kujo parte em uma visita a biblioteca para que entregasse alguns papéis para uma faltosa aluna.
Esta é Victorique, uma jovem garota parecida com uma boneca francesa, com cabelos loiros que caem até o chão e olhos verdes. A garota está lendo vários livros ao mesmo tempo e fumando um cachimbo: dois fatores que, a principio, assustam Kujo.
ヴィクトリカ
Porém, ao contar a garota os acontecimentos em que está envolvido, Kujo acaba notando a extrema perspicácia de Victorique, que facilmente alinha os fragmentos do caos e os reconstrói para Kujo.
A partir daí eles viram, de certa forma, amigos, e juntos tentam desvendar a verdade por trás da lenda do Shinigami Negro da Primavera e também do estranho assassinato do motoqueiro.
Para baixar o primeiro capítulo do mangá basta clicar aqui.
Você pode adicionar o volume 1 do mangá no skoob clicando aqui.
Você pode entrar no site oficial da série animada clicando aqui.

Diferente do mangá e da light novel, o anime começa no segundo caso que os amigos desvendam, porém como se fosse o primeiro.
Este é o caso do barco Queen Berry, um barco que afundou em meio a primeira guerra mundial e que, diz a lenda, é levantado das profundezas do oceano por espíritos que, depois de encher o barco de almas vivas e pulsantes, o afundam novamente.
No anime Kujo foi até a biblioteca ler histórias de terror quando ele encontra Victorique. Enquanto os dois discutiam o inspetor Grevil de Blois aparece com um estranho caso em mãos: Uma senhora foi assassinada em sua casa. Ela estava descansando em seu quarto quando um tiro soou. Haviam três empregados na casa, ambos de países diferentes. A senhora morta, um vidente, sabia falar as três linguas dos países fluentemente, porém ao que parecia a empregada árabe só sabia falar o idioma de seu país de origem. A neta da vidente também estava na casa. Quando a neta e os empregados da vidente se reuniram frente ao quarto da vidente, viram que a porta estava trancada e, como estava tudo em silêncio, pensaram que a vidente poderia ter morrido. Um dos homens disse que queria arrombar a porta com um machado, porém a neta se transpôs entre ele e a porta dizendo "Se minha avó estiver morta, esta casa será minha e eu não quero que você quebre nada". A empregada árabe não entendeu o que a garota dissera e pegou uma pequena arma no quarto ao lado. Atirou na fechadura da porta e, quando abriu-a, a vidente estava em sua cadeira de rodas, no meio do quarto, com um tiro no olho esquerdo.
Um mistério que, a principio, parecia estranho e sem solução, vira um brinquedo nas mãos de Victorique, me remonta o caos criado revelando o que realmente aconteceu e inclusive dizendo quem matou a vidente.
Como sou uma pessoa muito má, vou esperar que vocês assistam o 1° episódio para saber a resolução do crime por lá. Vocês podem baixá-lo aqui ou vê-lo online aqui.
Depois da resolução do mistério, Kujo descobre que Grevil se aproveitou da descoberta de Victorique e recebeu todos os créditos pela resolução do mistério. Além de ganhar um iate da neta da vidente.
Com raiva do inspetor, Kujo obriga-o a, ao menos, convidar Kujo e Victorique para a inauguração do iate. Victorique, assim que sai na rua, age como se nunca houvesse saído da biblioteca, desconhecendo todas as coisas a sua volta.
Quando chegam ao iate de Grevil, o inspetor é chamado pois o suspeito do crime desapareceu e ele precisa ir procurá-lo. Ele deixa que Victorique e Kujo entrem no barco, porém pedem que não naveguem nele. Fuçando nas coisas do barco, Victorique encontra um convite endereçado a vidente e decide partir em busca de respostas, indo a um jantar em um navio: o Queen Berry.
A resolução final deste caso é surpreendente, e a cada episódio você quer assistir mais e mais o anime.
Juntos Victorique e Kujo resolvem vários casos que, inicialmente, pareciam fantásticos, sempre envolvendo fantasmas ou lendas. Porém no final são sempre fruto da barbaridade e imaginação humana.
Eles resolvem, juntos, o caso do Shinigami Negro da Primavera, Resolvem o caso da Rosa Azul, resolvem um caso envolvendo especialmente a familia de Victorique e os Lobos Cinzentos - é, se vocês assistirem vocês entenderão -, resolvem o caso do Leviatã, do Crânio de Belzebu, o caso da rainha Coco Rose, e o último, que fecha o anime, que está em andamento e que já já acaba.
Espero que vocês assistam o anime/leiam o mangá, pois realmente vale a pena.
Vou colocar umas fotos legais do anime e umas fanarts para vocês babarem com os vestidos lindos que ela usa *_*