segunda-feira, 15 de junho de 2015

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, de Benjamin Alire Sáenz

Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do UniversoAutor: Benjamin Alire Sáenz
Editora: Seguinte
É bom?: ★★★
Páginas: 390

Sinopse: Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.




Desde a primeira vez que vi este livro, sabia que iria lê-lo mais cedo ou mais tarde. A capa me chamou a atenção, e o título do livro era extremamente convidativo. Aristóteles – um pensador grego que escreveu sobre praticamente tudo – e Dante – um escritor que foi do inferno ao céu atrás da amada – juntos dando nome a uma história com temática LGBT? Precisava ler.

Eu tinha acabado de ler Os Heróis do Olimpo em sequência e estava com uma ressaca literária gigantesca. Tinha trocado Aristóteles e Dante pelo Skoob Plus (<3) e ele estava me olhando de canto de olho, per perguntando se eu não iria lê-lo logo.

Então eu li.


O livro é contato pelo ponto de vista de Aristóteles – ou apenas Ari (meu pai chama Ari, weird moment) –, um garoto que tem uma família amorosa, mas manchada pelo fato de seu irmão mais velho ter sido preso. Os pais fingem que o irmão de Ari nunca existiu e Ari tenta fazer o mesmo, a pesar de não entender exatamente por que. Logo no início do livro, Ari nos diz que seu problema é que sua vida tinha sido ideia de outra pessoa.

Ari então conhece Dante, na aula de natação. Dante é o oposto de Ari em vários aspectos. Onde Ari é extremamente inseguro, Dante transborda confiança.  Ari acredita que não tem talento nenhum e Dante sabe fazer mil coisas diferentes. Ari se vê como o supra sumo do inútil e sem graça, enquanto Dante tem mil e uma peculiaridades que o tornam uma pessoa interessante.


Conforme os dois se tornam melhores amigos e convivem juntos, você percebe que nenhum dos dois é anda disso. Ari e Dante compartilham primeiras vezes em vários quesitos juntos, dividem seus gostos e dúvidas sobre o universo e tem uma verdadeira amizade.

Não vou passar muito disso, pois não quero dar spoiler. O livro é excelente, de verdade. É bonito, engraçado, muito divertido, profundo e emocionante. Cada capítulo do livro trás uma reviravolta diferente. É impossível não se identificar ou com o Ari ou com o Dante – ou, no meu caso, se identificar com os dois.


Antes de finalizar a resenha queria dizer uma coisa: amor é amor, e todas as formas de amor são belas. Se você está pensando em ler o livro mas nunca seu nenhum livro com temática LGBT, não se preocupe. O amor que um homem ou mulher da comunidade LGBT sente um pelo outro não é diferente do amor que um homem ou mulher hetéros sentem. Se você já leu um livro com romance hétero, está preparado para esta leitura.

Recomendo!







Um comentário:

  1. A sutileza e delicadeza do livro me impressionaram. Amei o final. "Não preciso da chuva — falei. Preciso de você". Espero que se torne filme. Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir

Olá, ser (in)humano! Tudo bão?
Então, seje feliz e comente o que quiser! Só não vale ser preconceituoso, postar conteúdo indevido ou me encher de spam (eu tenho lotes para capinar, sabia?).
Caso tenha alguma pergunta sobre o post, pode comentar que eu responderei dentro de 24 horas. Mas, se quiser, pode me mandar um e-mail! Meu endereço é: nlbrustolin@hotmail.com
Divirta-se =D