segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Matutando #5


Oi galerinha, como estão?
O tema do matutando de hoje é bem, digamos assim, polêmico. Antes de começar a discorrer sobre meu ponto de vista, quero deixar claro que este post NÃO É sobre gosto musical, mas sim preconceito. Okay? Prossigamos.
Todo mundo fala mal das bandas que eu escuto. Os cantores são tatuados, usam piercings, abusam do gutural (gritos) e escrevem músicas tristes. Mas eles, sem citar nomes mas falando de todos, sempre respeitaram seus fãs, apoiaram eles em vários momentos, fizeram vídeos e campanhas contra estupro, automutilação, bulimia, bullying e etc. E, mesmo assim, a maior parte das pessoas - incluindo meus pais, pais de amigos/amigas e adultos no geral - insistem em ver eles como cantores satânicos e más influências.



A colagem acima representa alguns cantores dos quais eu gosto muito. Eu acredito que a banda vai além dos vocalistas, mas acho mais conveniente falar especificamente deles, que são o rosto da banda na maior parte das vezes.
Da esquerda para a direita...

1 - Andy Biersack, da banda Black Veil Brides
Andy Biersack tem uma história não muito legal: quando adolescente sempre foi muito alto e gordinho. Por se vestir de preto e gostar de bandas de rock e metal, sempre foi odiado na escola, por vezes chamado de gay, boiola, afins. Andy cresceu, emagreceu, e hoje é o líder de uma das maiores bandas do gênero dos Estados Unidos, com uma legião de fãs (e isso é um trocadilho, já que ele trata os fãs como sua "legião" de soldados, os guerreiros que ninguém reconhece). Andy tem tatuagens (muitas), faz um som pesado, fala sobre solidão, morte, vida, o legado que deixaremos para o mundo, fala sobre esperança de um mundo melhor. Andy é ateu e já sofreu muito preconceito por isso.



2 - Austin Calile, da banda Of Mice and Men
Líder da banda Of Mice and Men, Austin nunca teve uma vida exatamente boa. Depois de fazer parte de duas bandas, ele sentia que tudo estava indo bem quando começou a fazer músicas com amigos em OMAN, Austin teve que fazer um cirurgia no coração, abriu o peito e passou quase dois anos afastado da banda. Mesmo conhecido pela habilidade vocal, respiração e resistência para fazer shows de duas horas sem ficar cansado, Austin não podia se arriscar a ter um ataque do coração durante um show.




3 - Ronnie Radke, da banda Falling in Reverse
Eu queria poder fazer um post exclusivo para falar do Ronnie. Ronnie está trabalhando com o Falling in Reverse há pouco tempo. Conhecido pelas letras engraçadas, por "ser um bom rapper mas cantar numa banda de rock" e por ter ido para a cadeira, Ronnie com certeza é uma pessoa que tem uma história para contar. 
Preso por ter supostamente assassinado um garoto, Ronnie foi para a cadeia e passou um bom tempo por lá, pensando no que fez. A pesar de não ter efetivamente matado o rapaz, Ronnie estava lá quando aconteceu e participou da briga. Só não sabia que alguém ali tinha uma arma e que pretendia usá-la. Ronnie não é completamente inocente: viciado em drogas pesadas e álcool, ele nunca foi uma pessoa muito responsável, se metia em brigas com frequência e não era exatamente um tipo bom de pessoa.
Mas depois da cadeira Ronnie mudou muito. Largou as drogas, o alcool (ele fez uma reabilitação enquanto estava na cadeia, hoje não é mais viciado), cumpriu a pena perfeitamente sem entrar em brigas na cadeira, se casou e recentemente teve uma filha. Ele é a prova viva de que alguém, mesmo jovem, pode dar uma virada muito grande em sua vida de idiota inconsequente para o herói de muitas pessoas.




4 - Vic Fuentes, da banda Pierce the Veil
Vic Fuentes, o mais certinho desse grupo, de longe. No entanto, Vic teve uma adolescência difícil, e rolam muitos boatos de que ele passou por uma fase de automutilação quando era mais novo. Ele é o único de sua banda (na verdade, o único integrante de qualquer uma dessas bandas que citei) que não tem nenhuma tatuagem. O fato é que Vic tem uma voz aguda, muito fina e, admito, a primeira vez que ouvi eu achei que era uma mulher que cantava (mas a voz dele é linda, tá? u.u). Vic sempre foi chamado de boiola por causa de sua voz. Cerca de 90% das músicas de sua banda são sobre suicídio, morte, automutilação, bulimia, sofrimento, solidão e afins. Vic também apoia vários grupos que combatem a depressão em adolescentes e apoia as pessoas no geral, encorajando-as a serem elas mesmas e a fazerem o que gostam, não importa as dificuldades.



5 - Matt Tuck, da banda Bullet for my Valentine
Matt é, sem dúvida, o mais famoso dos cinco citados. Mesmo não tendo um passado conturbado, Matt sempre sofreu preconceito por causa do cabelo comprido, tatuagens, piercings e afins. Fora sofrer de alguns problemas na garganta e faringe que o afastaram da banda por um tempo, Matt nunca teve nenhum problema. No entanto, ele gosta de mostrar em suas canções um outro lado da vítima do preconceito. Nem sempre aquele garoto que apanhava na escola e era chamado de bixa vira um adulto solitário: às vezes, vira um adulto violento. Uma das citações mais famosas da banda diz o seguinte: "Não consigo fugir desta raiva que eu sinto". Muitos adolescentes não conseguem.
Mesmo que você não goste de rock/tenha preguiça de ver todos os vídeos que eu postei, pelo menos assista o clipe abaixo. A mensagem que ele passa é, ao mesmo tempo, real e cruel. E, de quebra, o clipe é engraçado no final =D




Agora que vocês viram 5 cantores de quem gosto, leram sobre eles e ouviram uma de suas músicas, vamos falar de outro cantor de quem não gosto mas que, diferente desses citados acima, é amado pelas mães e é considerado um bom artista, comportado e bonito.




Justin Bieber é um famoso cantor, adorado por todas as mães por ser o tipo correto de pessoa, um rapaz bonitinho, cujas canções são sobre amor e afins, fuma maconha. Não estou crucificando isso, até por que muitos dos cantores que eu escuto já devem ter fumado também na vida. E não me meto na vida de quem usa drogas, cada um fuma ou deixa de fumar o que bem entende. Mas então os fãs fazem uma corrente na internet para se cortarem (sim, você entendeu direito) e postarem fotos dos machucados no intuito do Justin parar de fumar maconha e tudo o que ele tem a dizer sobre é um grande nada. Isso. NADA. E pior: foi preso por portar droga em grande quantidade algum tempo depois.
E agora me surgem fotos desse cantor CUSPINDO NOS FÃS. É sério isso?
Eu acredito que todo mundo pode mudar. Ronnie Radke é a prova disso. Mas não acredito que uma mudança ocorra do nada (para Ronnie foi preciso mais de 5 anos). Mas acho que as atitudes de Justin Bieber tem tomado ultimamente (cuspir nos fãs, faltar/se atrasar para shows, se envolver em brigas e ser preso) não são favoráveis. Só por que Justin tem cabelo curto, não usa muito preto, tem tatuagens discretas e escreve sobre amor ele é melhor e mais competente que todos os cantores que eu citei ali em cima? Me recuso a acreditar numa coisa dessas. E o pior: os fãs defendem o Justin abertamente e cegamente, mesmo quando é óbvio que ele está fazendo algo errado e que está, digamos assim, deixando a fama subir à sua cabeça.


Os fãs dele tiveram uma lavagem cerebral que levou ao ponto de que ele pode destratá-los a vontade contanto que ele escreva com certa frequência "eu amo meus fãs" no twitter. Os fãs não deviam continuar desculpando e defendendo ele por ser um completo idiota só por que é famoso ou bonito. Acho que um fã criticar seu ídolo de forma construtiva é completamente aceitável e, muitas vezes, necessário. Justin tem que entender que, se não fosse pelas pessoas em quem ele cospe ele simplesmente seria um garoto qualquer postando vídeos de covers no YouTube.
Não estou questionando os talentos dele. Canta bem, sabe dançar? Sabe, é claro. Mas eu não aceito mais ser obrigada a ouvir uma pessoa dizer que meus cantores favoritos merecem menos respeito que esse cantor por que são tatuados e cantam em bandas de rock. Por que eles tem muito mais caráter e integridade que o Justin, pelo menos atualmente.


Dois rapazes, jovens, famosos, ricos e bonitos (mesmo que você não ache, tem quem ache o Ronnie Radke bonito - tipo, eu). O que eles tem em comum? Ambos foram presos, usaram drogas, se envolveram em brigas e em escândalos com fãs. O da esquerda superou sua época sombria e hoje é uma pessoa incrível, tem uma filha, ajuda instituições de caridade e condena o bullying. O outro, está passando por essa fase. Não sou fã de Justin Bieber e não gosto das músicas dele, mas é por uma questão de gosto mesmo. Espero um dia poder admirá-lo novamente, olhar para Justin e pensar que ele faz seus fãs felizes com as músicas e não tem uma conduta destrutiva. Eu sei que ele pode, e que vai, melhorar dessa fase. 
Só acho que os fãs poderiam ajudá-lo a perceber que uma melhora é necessária.

8 comentários:

  1. Nath, o Bieber é um produto feito pra vender pra meninas ingênuas e meninos bobinhos. Eu não conheço nenhuma das bandas que você citou - e aqui estou sem caixas de som, ô derrota! - mas acho que a coisa vai muito além da aparência, e, é uma pena, é nela que quase toda a sociedade se baseia pra dizer quem somos. Um bom exemplo é o que acontece no filme "Violência Gratuita", onde os psicopatas, brancos, bem vestidos e educadíssimos, ganhavam fácil a confiança das vítimas.

    E o som que ouvimos é como uma extensão da nossa aparência: quem ouve Lady Gaga é gay, rap é drogado e por aí vai. É uma chatice sem tamanho isso, ainda bem que em casa minha mãe sempre foi pra frente nesse assunto, ouve de Flora Matos a Marcelo Jeneci, e agora tá piradona no Silva. Acho que tive sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ISSO é a parte triste da história. Nunca vi esse filme, vou pesquisar sobre ele!

      É, isso é triste. As pessoas me olham torto quando digo que não gosto de Justin Bieber (não é brincadeira). Meu pai adora essas músicas também, cresci ouvindo MPB =D

      Excluir
  2. Concordei muito com o seu post. Quantas vezes eu escutei artistas que as pessoas diziam que eram drogados e fora de si, quando na verdade, quem era assim eram artistas que posam de lindos de bonitos para a mídia.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, isso é triste :c
      As pessoas deviam olhar para as pessoas, não sua aparência.

      Excluir
  3. Eu amo o Vic. Apesar de muitos acharem ele estranho,eu tenho muita admiração e carinho por ele. Apesar do cabelo comprido (que tantos amigos meus julgam) eu consigo ver nos olhos dele que ele é uma boa pessoa.Amo,amo e amo Vic Fuentes <3

    ResponderExcluir
  4. concordo com tudo dito no post.Nao gosto de rock pesado,nao é meu estilo.Porem depois de ver a historia desses artista fiquei comovida.Nao gosto do Justin Bieber,acho ele superficial,come se ignorasse os problemas do mundo e so ligasse para a vida dele.Espero que ele mude

    ResponderExcluir
  5. gastou tanto tempo pra digitar esse monte de bosta

    ResponderExcluir

Olá, ser (in)humano! Tudo bão?
Então, seje feliz e comente o que quiser! Só não vale ser preconceituoso, postar conteúdo indevido ou me encher de spam (eu tenho lotes para capinar, sabia?).
Caso tenha alguma pergunta sobre o post, pode comentar que eu responderei dentro de 24 horas. Mas, se quiser, pode me mandar um e-mail! Meu endereço é: nlbrustolin@hotmail.com
Divirta-se =D